PUBLICIDADE
BAIRRO AEROPORTO
Idoso é amarrado, amordaçado e morto dentro da própria casa
Corpo da vítima foi encontrado já em estágio de decomposição com as mãos e pés amarrados
Por Folha Web
Em 29/04/2019 às 00:10
Vizinhos chamaram a Polícia que, ao entrar na casa, encontrou o corpo dentro do banheiro. (Foto: Aldenio Soares)

Moradores da rua 2 de Julho, no bairro Aeroporto, acionaram a Polícia Militar na tarde desse domingo, dia 28, depois de sentirem mau cheiro vindo da residência número 546. Assim que os policiais chegaram ao endereço, os vizinhos contaram que desde a quarta-feira, dia 24, sentiam o forte odor que vinha da propriedade. Assim que a guarnição entrou na casa, encontrou o corpo do dono do imóvel dentro do banheiro, já em decomposição. A vítima foi identificada como o aposentado Cícero Pereira Gomes, de 66 anos.

A equipe de reportagem da Folha esteve no local e confirmou com a PM que Cícero era conhecido como “Paulista” e estava aposentado da Guarda Civil Municipal (GCM). O corpo estava com braços e pernas amarrados e com uma mordaça. Pelas características, as equipes policiais ressaltaram que houve luta corporal da vítima com os autores do crime e que o homicídio pode ter sido causado por pessoas que conheciam a rotina do idoso e que possivelmente frequentavam sua residência, tendo em vista que não havia sinais de arrombamento na casa.

Os vizinhos informaram que o idoso era uma pessoa muito calma, gostava de ler e não fazia mal a ninguém. No entanto algumas pessoas de procedência duvidosa e de atitudes suspeitas passaram a frequentar sua casa, muitas vezes chegando de bicicleta. “Ele não mexia com ninguém. Era culto. Ele não tem ninguém aqui e tinha planos de ir embora para São Paulo. Por último, ele foi visitar meu sogro, em Caracaraí e chegou a falar que estava velho e precisava voltar para perto da família. Ele morava há anos nessa casa. A gente chamava ele de “Paulista”, ressaltou um dos moradores da vizinhança.

PUBLICIDADE

Ao fim do procedimento de perícia, o corpo foi removido à sede do Instituto de Medicina Legal (IML). Agentes da Delegacia Geral de Homicídios (DGH) estiveram no endereço para dar início às investigações. Eles apontaram que a principal hipótese é de que a motivação da morte tenha sido para roubar, configurando o crime de latrocínio (roubo seguido de morte). Até o fim da tarde de ontem, ninguém foi preso como suspeito do crime. (J.B)

Polícia Civil foi acionada para investigar crime (Foto: Aldênio Soares)

***
Gostou?
0
7
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!