PUBLICIDADE
SEGUNDA PARCELA
Mais de 30 professores já caíram no golpe de precatórios 
No momento em que a reportagem estava no Sinter, mais uma vítima do golpista chegou informando que havia feito depósito de 14 mil reais
Por Ribamar Rocha
Em 19/06/2019 às 00:20
Diretor do Departamento de Federais do Sinter, Ornildo Roberto (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Pelo menos 30 professores de Roraima já caíram no golpe de um homem que se passa por advogado do Sinter (Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Roraima) e liga para as vitimas informando que eles têm direito a receber mais uma parcela de precatório, paga em abril deste ano. 

Em média, os valores pedidos são de R$ 2.400 a R$ 14.800 e em alguns casos a vítima chegou a fazer um segundo depósito, depois que o golpista volta a ligar informando estar de posse de documentos que comprovam que houve erro de cálculo e a pessoa tem direito a receber um valor bem maior. 

No momento em que a reportagem estava no Sinter, na tarde de ontem, mais uma professora havia caído no golpe e feito um depósito de 14 mil reais. Ela não quis se identificar e nem falar com a reportagem. Falou com o diretor do Departamento de Federais do Sinter, Ornildo Roberto. Essa foi a maior quantia já depositada para o golpista registrada no Sinter. Antes, um professor havia depositado 12 mil.   

PUBLICIDADE

“Essa professora é apenas mais uma vítima, já fomos procurados por mais de 30 trabalhadores da educação dizendo que estão recebendo ligações de uma pessoa se passando por nossa assessoria jurídica e usando o nome do doutor Bernardino de Souza Cruz Neto e diz que professor tem direito a receber uma segunda parcela dos precatórios, paga recentemente”, disse.

O relato é sempre o mesmo. O golpista passa todas as informações do processo e da pessoa e pede que faça o depósito para poder ter direito ao restante do precatório. Geralmente pede que façam o depósito com urgência, pois o prazo está vencendo e em duas horas o dinheiro estará na conta da vítima.     

Ornildo informou que desde o dia 18 de maio o Sinter vem noticiando nos meios de comunicação e no site do sindicato que não é cobrada nenhuma parcela para receber o dinheiro do precatório. 

“Infelizmente alguns colegas estão deixando se levar por estas propostas mentirosas que ainda vão receber parcelas que não existem. Os professores já receberam o que tinham direito e não cobramos nada para que recebessem o que era devido”, disse. 

Ornildo afirmou que o Sinter e o assessor jurídico Bernardino de Souza Cruz Neto, já procuraram o 1º DP (Departamento de Polícia) para registrar Boletim de Ocorrência sobre os crimes. 

Ornildo Roberto disse que qualquer informação relacionada aos precatórios de professores em nome do Sinter deve ser ignorada.

“Quem receber ligações relativas a precatórios em nome do Sinter ou do doutor Bernardino, que ignore e procure pessoalmente o sindicato para que possamos passar as informações corretas. Esperamos que a polícia possa, em breve, capturar este estelionatário”, afirmou. (R.R)     

***
Gostou?
3
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!