"Entre a economia e a vida, prefiro a vida", diz vice-governador - Folha de Boa Vista
DISCURSO DO PRESIDENTE
"Entre a economia e a vida, prefiro a vida", diz vice-governador
Para Frutuoso, as medidas tomadas no estado pelo governador Antônio Denarium foram "antes tarde do que nunca". 
Por Raisa Carvalho
Em 25/03/2020 às 18:59

O vice governador de Roraima, o médico Frutuoso Lins, afirmou em entrevista à Folha de Boa Vista, que a prioridade agora deve ser a saúde pública e a preservação de vidas. O comentário foi em relação ao discurso dado pelo presidente Jair Bolsonaro que solicitava o retorno das pessoas ao trabalho para não prejudicar a economia.

"Esse equilíbrio entre a economia e a vida das pessoas é muito delicado, nós temos que ouvir os dois lados e tentar encontrar a melhor maneira possível de tentar equalizar o problema. No mundo, temos poucos países optando pelo isolamento parcial, a maioria optou pelo isolamento total. O que o mundo vem enfrentando agora é ainda muito novo, mesmo que tenha passado por outras pandemias", informou.

Ele acredita que ainda é preferível seguir as orientações dos técnicos do Ministério da Saúde. "Lá na frente, poderemos ver se exageramos no cuidado, mas não podemos deixar de criar alternativas e uma estrutura confiável para aqueles que precisarem. Sou da área da saúde, então não poderia ser diferente" disse.

O vice governador ainda criticou o tom de ironia usado pelo presidente Jair Bolsonaro, durante o pronunciamento oficial na noite de ontem. "Eu lamento o tom "jocoso" que o presidente usou durante sua fala, acerca de um médico de renome nacional e também da atuação da imprensa", ressaltou Frutuoso Lins.

Governo de Roraima

Para Frutuoso, as medidas tomadas no estado pelo governador Antônio Denarium foram "antes tarde do que nunca". 

"Acho que governador deveria se pronunciar a cada 24h para tranquilizar a população, sempre em conjunto, com a Prefeitura  e Operação Acolhida. Há um clima muito tenso nas pessoas, e a presença do líder as acalma. Quanto as medidas econômicas creio que ele fez o que pôde agora, porém ainda há espaço para outras medidas que acredito que ele está resguardando para os momentos futuros. Em relação a proteção dos profissionais de saúde, vejo muitas queixas dos servidores da linha de frente quanto a proteção individual (EPI’S). Espero que o governador corrija isso", reforçou.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
12
29
Cadastrar-me Enviar Comentário
Jesus está voltando! disse: Em 26/03/2020 às 15:27:37

"É, quem tem dinheiro sobrando, pode ficar em casa, esperando tudo passar. Sou funcionário público mas me coloco no lugar daqueles trabalhadores informais, esses não podem ficar em casa, esperando esse vírus do diabo acabar."

Jesus está voltando! disse: Em 26/03/2020 às 10:03:59

"Entre a economia e a vida eu prefiro Jesus. Não tenho um pingo de medo desse vírus do satanás. Pra mim, o viver é cristo e morrer é lucro. Filipenses 1:21."

Luiz Junior disse: Em 26/03/2020 às 09:34:33

"OK, quando nosso dinheiro acabar, devemos procurar o referido DR pra pagar nossas contas"

Damiao disse: Em 26/03/2020 às 09:25:12

"Com o salário que vc tem, pra não fazer nada. Até eu preferia. Mais na hora que dar uma fome pede um derlivry, ou a empregada pra ir no mercado comprar. Vouta pra tua toca vice-nada."