Agricultura familiar, educação e saúde são prioridades, diz prefeita - Folha de Boa Vista
AVALIAÇÃO DA GESTÃO
Agricultura familiar, educação e saúde são prioridades, diz prefeita
Eronildes Gonçalves teve 64,73 % de aprovação na sua gestão
Por Folha Web
Em 24/11/2021 às 06:00
Prefeita de Mucajaí, Eronildes Gonçalves, em entrevista à FolhaBV (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Na rodada de entrevistas da FolhaBV com os prefeitos de Roraima, hoje  temos a participação da prefeita de Mucajaí, Eronildes Gonçalves, que na pesquisa de opinião pública feita pelo Instituto Inope, teve a gestão do município aprovada com 64,73%.

1- A que atribui a aprovação dos moradores da cidade?


Eronildes - Fico feliz, muito feliz com a avaliação das pessoas. Na minha gestação priorizei três metas: agricultura familiar, educação e a saúde e foram elas que me fizeram chegar a esse porcentual. Porque quando se fala em saúde, em uma gestão municipal com pouco recurso, arrecadação escassa, acabamos sobrevivendo apenas de FPM [Fundo de Participação do Municípios] e ICMS [Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação]. Isso sem deixar de levar em consideração o grande volume de demandas.

São muitas as dificuldades, mas podemos constatar que alcançamos muitos resultados. Nesse inverno rigoroso por exemplo, nenhuma vicinal ficou ilhada, podemos andar perfeitamente em nossas estradas. E a nossa educação, que tanto prezamos e acompanhamos de perto, mesmo com a pandemia, os professores pegavam as vicinais a dentro, para levar alfabetização a quem de fato precisa.


2 - Qual sua missão para os próximos três anos?


Eronildes - Nosso foco é continuar dando prioridade para a saúde, educação, agricultura familiar, cultura, enfim, todas as áreas importantes para a nossa população.

3- O que espera do próximo governador?


Eronildes - Eu espero que as coisas mudem, porque nesta gestão a nossa prefeitura não tem apoio nenhum. Inclusive, a gente sofre porque os convênios da saúde estão ligados ao estado. Por exemplo, para manter os serviços do Samu, o governo federal arca com 50%, já o município fica com 25% e os outros 25% é o governo do estado. Posso afirmar, que desde 2017 o governo estadual não faz nenhum repasse, então quem acaba tendo que arcar com esse investimento é a prefeitura de Mucajaí. Mas graças a Deus, não abaixamos a nossa cabeça e o serviço tem sido mantido para atender nossa população.

Hoje o governo estadual deve na faixa de R$ 1,5 milhão para Mucajaí. Espero sinceramente que o próximo governo olhe mais para os municípios.

GOVERNO DO ESTADO - Citado pela prefeita, o Governo do Estado se manifestou por meio da seguinte nota:

A Secretaria de Comunicação Social nega que o governo deva qualquer recurso de contrapartida de projetos feitos com o município de Mucajaí. Informa que somente em 2021 já entregou 10 obras no município, totalizando R$ 10.833.354,30 milhões em pontes, recuperação de vicinais, eletrificação rural e reforma de escolas do município.

Esclarece ainda que, até outubro de 2021, o Governo de Roraima repassou R$ 10.746.745,14 referentes ao ICMS e IPVA para a Prefeitura de Mucajaí, valor destinado para melhorias na estrutura do município e, assim, melhorar a qualidade de vida dos moradores da cidade e vicinais da região.

Por fim informa que a Prefeitura de Mucajaí RECUSOU o recurso disponibilizado pelo Governo de Roraima, por meio de convênio, para manutenção e limpeza do município. O repasse anual soma R$ 600 mil, sendo R$ 50 mil por mês. O recurso já estava disponível em conta quando a Prefeitura decidiu devolver.

O Governo do Estado lamenta que questões político-partidária e de interesse puramente eleitoreiro venham a prejudicar toda população de Mucajaí. Dessa forma, o Governo reitera que irá continuar a beneficiar todos os municípios independente de lado político, pois para o Governo só existe um lado, o lado da população.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
1
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
ADNIL BARROS CAVALCANTE disse: Em 25/11/2021 às 15:16:03

"Quem está faltando com a verdade? Será que algum órgão de controle externo poderia tornar transparente tais fatos à população do município?"