PUBLICIDADE
APÓS DENÚNCIA
Câmara do Bonfim cassa mandato de vereador investigado por estelionato
Nando Macedo (PT) é acusado de praticar suposto golpe contra idosos e conduta ética foi avaliada por vereadores do município
Por Paola Carvalho
Em 10/08/2019 às 00:20
Relatório foi votado e aprovado pelos oitos parlamentares presentes na Câmara Municipal de Bonfim (Fotos: Ascom Câmara Bonfim (1))

Em sessão extraordinária, a Câmara Municipal de Bonfim decidiu por unanimidade pela cassação do mandato do vereador Nando Macedo (PT), investigado por suposto ato de estelionato contra idosos. A Casa afirma que apurou a conduta ética do parlamentar e constatou que houve quebra de decoro parlamentar.

O relatório final foi apresentado na noite de quinta-feira, 08, pelo vereador Professor Gil (PRB) para uma Comissão Processante instalada para apurar a conduta do parlamentar. O relatório foi aprovado pelos oito parlamentares presentes. 

O vereador Nando não compareceu à sessão, mas um advogado constituído pela Casa Legislativa acompanhou o caso. “O advogado fez a defesa dele [Nando]. Fez as alegações técnicas do processo, mas não entrou no mérito moral/ético, que é o que julgávamos”, explicou o vereador Professor Gil.

PUBLICIDADE

Ainda na sexta-feira, 09, a Câmara Municipal empossou Maria Luzineide Matos, mais conhecida como Irmã Neide, para substituir Nando Macedo. Luzineide disputou as vagas para vereadora do Bonfim em 2016 pelo PSDC.

DENÚNCIA – Cerca de dez idosos formalizaram denúncia junto à Câmara Municipal de Bonfim contra o vereador Nando Macedo, sob alegação de suposto ato de estelionato e falsidade ideológica. As vítimas são moradoras do município e denunciaram aplicação de golpe junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), onde o vereador supostamente teria conseguido procurações em nomes de idosos para sacar benefícios e realizar empréstimos.

Segundo as vítimas, os crimes teriam ocorrido em 2006, mas somente em 2018 os idosos conseguiram localizar o suposto estelionatário e acionar a Justiça. As vítimas contam que eram procuradas por Nando e que o vereador, ainda sem mandato na época, teria se identificado como “Macedo” para auxiliá-las em suas aposentadorias.

A investigação, que segue em curso, é de competência da Justiça Federal. A denúncia também foi formalizada junto ao Ministério Público Federal e a Promotoria Criminal Genérica do Ministério Público Estadual. (P.C.)

Macedo afirma que cassação de mandato é injusta


Vereador Nando não compareceu à sessão e disse que é inocente e está sendo perseguido (Foto: Diane Sampaio/FolhaBV)

Conforme já havia anunciado à Folha, Nando reafirmou que considera a cassação de mandato como “perseguição política” por ser oposição à gestão do prefeito de Bonfim, Joner Chagas (PRB).

Nas suas redes sociais, Macedo afirmou que todos os vereadores que participaram da votação são ligados ao prefeito e que cassaram o seu mandato injustamente. “Os vereadores deveriam ter vergonha na cara e cassar o mandato do prefeito, que está me perseguindo. Eu vou continuar denunciando, fiscalizando, doa a quem doer. Mas eu quero tranquilizar o povo do Bonfim que eu estou acionando a Justiça para voltar para o meu cargo, cargo esse que o povo me deu”, completou.

Por fim, Nando acrescentou que vai acionar a Justiça para retornar às suas atividades como vereador. 

OUTRO LADO – A Folha entrou em contato com a Assessoria de Comunicação (Ascom) da Prefeitura de Bonfim para saber se o prefeito Joner Chagas gostaria de se pronunciar sobre o posicionamento do vereador. Em nota, Joner informou que o Poder Legislativo Municipal é independente, portanto, não tem qualquer participação em suas decisões. “Quanto às ofensas proferidas pelo ex-vereador Nando Macêdo, informa que adotará as medidas judiciais pertinentes” (P.C.)

***
Gostou?
3
2
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!