PUBLICIDADE
CRISE MIGRATÓRIA
Comissão Externa pede mais apoio para Operação Acolhida
Requerimento apresentado pelo presidente da Comissão, deputado Nicoletti (PSL), requer auxílio à ação desenvolvida pelo Exército Brasileiro
Por Paola Carvalho
Em 07/09/2019 às 08:20
Entre as providências solicitadas estão o aumento do número de médicos e até a disponibilização de uma aeronave para auxiliar no processo de interiorização (Fotos: Câmara dos Deputados)

A Comissão Externa Crise na Fronteira da Venezuela com o Brasil (CEXVENEZ) realizou reunião deliberativa onde discutiu um requerimento que prevê mais apoio às ações da Operação Acolhida, promovida em Roraima pela Força-Tarefa Logística Humanitária, responsável pelo primeiro acolhimento de refugiados no Estado.

O presidente da Comissão e também autor do requerimento nº 10/2019, deputado Nicoletti (PSL), requer “o envio de solicitação de providências cabíveis a fim de melhorar as condições da área da saúde da Operação Acolhida” em Boa Vista, em virtude do aumento no número de atendimentos médicos prestados pelos militares dentro e fora dos abrigos.

As solicitações são: o aumento no número de médicos, dentistas e medicamentos para os atendimentos prestados pelos militares; a disponibilização de aeronave para auxiliar no processo de interiorização de venezuelanos e a disponibilização de um ônibus capacitado que realize atendimentos médicos.

PUBLICIDADE

Outros pontos solicitados foram a discussão a respeito do enquadramento dos venezuelanos como refugiados pelo Comitê Nacional para os Refugiados (CONARE) e a realização de reunião com organizações não-governamentais (ONGs) e entidades envolvidas com a Operação Acolhida, como, por exemplo, a Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), a Organização Internacional para as Migrações (OIM) e a Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA).

A justificativa alegada pelo deputado é que prestou visitas às instalações da Operação Acolhida nos dias 31 de agosto e 02 de setembro, para analisar de perto os atendimentos médicos realizados pelos militares aos venezuelanos.

"Após as visitas, identifiquei alguns problemas que necessitam de providências urgentes por parte do Poder Público e a Comissão Externa é o espaço perfeito para isso", informou Nicoletti no documento. O requerimento foi aprovado por unanimidade na comissão.

SERVIÇO PÚBLICO - Vale ressaltar que em julho deste ano, o coordenador apresentou o primeiro relatório da Comissão com uma série de recomendações aos órgãos do Governo Federal frente às necessidades dos serviços públicos de saúde, educação e segurança pública.

Entre as recomendações do relatório estavam a necessidade de alocação de recursos para os sistemas de saúde municipais e estadual; cooperação entre órgãos federais e estaduais na área da segurança pública; a necessidade de subsídio financeiro para a educação com aumento de recursos e ampliação das escolas, especialmente em Pacaraima e a melhoria de comunicação entre os entes federativos para divulgação de dados sobre migração.

À Folha, o deputado afirma que esse novo requerimento só foi feito após o primeiro pedido de recursos para o serviço público oferecido pelo Governo do Estado e das Prefeituras de Pacaraima e Boa Vista.

"Eles [Operação Acolhida] estão fazendo esses atendimentos em prédios abandonados do Governo e da Prefeitura, na Rodoviária e isso tem desafogado as unidades básicas de saúde. É um algo a mais, que a gente precisa valorizar. Precisamos de mais médicos e mais equipamentos”, afirmou. “Não estou deixando de pedir recursos para o Estado e municípios. Isso já foi feito. O segundo passo é para que o Exército continue a atuar e melhorar o seu serviço”, completou. (P.C.)

***
Gostou?
3
12
FÁBIO ALMEIDA disse: Em 09/09/2019 às 10:42:37

"Caro Deputado Federal. A comissão externa deve como ato emergencial denunciar o embargo econômico dos EUA contra a Venezuela. A revogação das duas ordens executivas é essencial para que possamos começar a intervir diretamente no número de venezuelanos que imigram em virtude da fome que enfrentam em seu país, devido a proibição de comercializam de produtos impostas pelos americanos. O não enfrentamento desta questão consiste apenas em declarações demagógicas e oportunistas que buscam de forma paliativa tentar impor cada vez mais uma distorção no processo de acolhimento seja de brasileiros ou venezuelanos, a segregação não é um caminho, o SUS deve ser a única porta de entrada, qualquer medida de saúde deve está subordinada a autoridade sanitária local, sua proposta apenas amplia a iniquidade e fortalece pensamento e ações xenófobas, advindas de uma população largada ao acaso do destino por ideais liberais de redução dos serviços públicos, impactado pela emenda 95/2016, apoiada por vossa senhoria e seu partido. O estrangulamento do serviço público em Roraima não é de hoje, mas é ampliado com a lógica privatista que seu partido defende, desta forma vossa senhoria defende. Então não venha com retórica de fortalecimento das ações no setor público. quanto a comissão tome coragem e assuma o papel de denuncia deste embargo econômico imoral, adotado de forma unilateral pelos EUA que criam uma crise humanitária, além de impor despesas orçamentarias em outros países, a exemplo do Brasil. Caso os americanos não queiram reverter seu ato imperial de bloqueio econômico unilateral a um país, arque com os custos da incandescência de seu ato. Bom dia. "

FÁBIO ALMEIDA disse: Em 09/09/2019 às 10:30:46

"Enquanto o Brasil não denunciar na ONU o embargo econômico dos EUA contra a Venezuela não estabeleceremos um marco na redução do número de imigrantes venezuelanos. O embargo é um sério problema que precisa ser enfrentado pelas nações impactadas pela imigração massiva de venezuelanos que fogem da fome. Caso os americanos não aceitem reverter as duas ordens executivas que inviabilizam venda e compra de produtos na Venezuela que arquem com os custos. Não é admissível que um país tome uma decisão isolada de grave impacto humanitário, impondo ampliação de despesas em outros países e assistam essa situação nos bastidores. Desta forma a comissão externa Deputado deve apresentar uma denuncia formal na ONU contra o embargo. caso isso não seja feito veremos a cada dia apenas discursos demagógicos e paliativos, pois em tempos de desmonte do serviço público, apoiado por vosso partido, teremos condições cada vez piores de acolhimento de brasileiros e venezuelanos."

Aureo da Silveira Batista disse: Em 07/09/2019 às 23:13:33

"Enquanto nossos políticos estão se esforçando pra melhorar a Operação Acolhida, esquecem que a cada dia piora a situação da cidade de Boa Vista, com centenas de venezuelanos em condições vulneráveis que enchem nossa cidade , praças , cruzamentos mulheres com filhos pedindo. Os hospitais estão saturados sem condições de atender os brasileiros. Alguém já perguntou onde isso vai parar?? Que se criem condições de ajuda lá na Venezuela com ajuda humanitária internacional. Pacaraima clama por socorro!!! "

GLEISON OLIVEIRA DO NASCIMENTO disse: Em 07/09/2019 às 10:04:32

"NOS TEMOS QUE ACOLHER OS BRASILEIROS PRIMEIRAMENTE, QUE ESTÃO PASSANDO POR SITUAÇÃO DIFÍCIL, COM ESTA CRISE, QUE O GOVERNO ANTERIOR DEIXOU. "

Josy disse: Em 07/09/2019 às 06:03:10

"Deve ta sem tempo pra ler e rever o que realmente o Brasil e RR está precisando! Sem futuro esse pedido! Deve pedir apoio é para rever esse conceito de acolhida que mudou de sinônimo: agora é abuso da fé dos brasileiros! Palhaçada..."

Davi disse: Em 07/09/2019 às 05:54:15

"O mais certo é vcs políticos, reduzirem no mínimo pela metade os seus ganhos e também a quantidade de parlamentares, porque o Brasil não tem mais condições de bancar tanto parlamentar... E também começarem uma campanha educacional para as pessoas se conscientizarem para a necessidade de não terem muitos filhos mais, o mundo, a terra não suporta mais..."