PUBLICIDADE
INVESTIGAÇÃO DE DENÚNCIAS
Deputada cobra instauração da CPI da Saúde
Por Paola Carvalho
Em 10/06/2019 às 01:51
Para Betânia Almeida (PV), cobrança é necessária para que a investigação de denúncias da Saúde seja devidamente apurada (Foto: Paola Carvalho)

A criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a Saúde em Roraima aguarda poucos detalhes para sair do papel. A medida foi sugerida em abril deste ano pelos parlamentares da Assembleia Legislativa de Roraima (ALE-RR) após a denúncia de suposto esquema envolvendo a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau) e empresas terceirizadas pertencentes a políticos do Estado.

Segundo a deputada Betânia Almeida (PV), basta apenas aprovar o nome dos integrantes desta CPI na Assembleia Legislativa.

“Protocolamos esse documento e estamos cobrando a instauração. Acredito que mediante tanta cobrança não devemos demorar muito. O nosso povo necessita, visto que esta é a nossa principal fonte de cuidados da saúde”, informou Betânia durante o programa Agenda Parlamentar na Rádio Folha 100.3 FM no último sábado, 08.

PUBLICIDADE

A parlamentar informou que está acompanhando o processo de implantação da CPI da Saúde desde o princípio, quando foi protocolado o pedido de criação com 18 assinaturas de deputados da ALE-RR. 

A deputada lembrou ainda que o que motivou a criação da CPI foram as declarações do ex-secretário estadual de Saúde, Ailton Wanderley, na época de sua saída da pasta. Entre as informações apontadas pelo antigo titular da pasta estavam um suposto esquema entre o Governo do Estado e empresas terceirizadas pertencentes a políticos de Roraima, venda de serviços por médicos concursados e funcionários que não pagam plantão.

Segundo Betânia, as medidas também motivaram o registro de um boletim de ocorrência pelos parlamentares para ter acesso às informações junto à Secretaria Estadual de Saúde (Sesau). “Precisamos checar essas informações considerando que essas afirmações foram feitas pelo ex-secretário de saúde, um médico, e que, portanto tem conhecimento de como funcionava a pasta interinamente”, completou. (P.C.)

***
Gostou?
6
2
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!