PUBLICIDADE
IMIGRAÇÃO
Governo Federal pediu novo prazo para elaborar plano de assistência a RR
Por João Barros
Em 12/09/2019 às 01:22
Jhonatan de Jesus disse que os partidos pretendem obstruir MPs caso as solicitações não sejam atendidas (Foto: Divulgação)

Deputados e senadores da bancada de Roraima decidiram fazer ameaças de novas obstruções de Medidas Provisórias (Mps) por conta da falta de solução do governo federal para a situação da migração no estado. O líder do Republicanos, deputado Jhonatan de Jesus, participou na tarde desta quarta-feira, 11, de uma reunião com o ministro-chefe da Secretaria de Governo da Presidência da República, Luiz Eduardo Ramos, que na semana passada, durante a movimentação da bancada roraimense pediu 10 dias de prazo para dar uma solução. O prazo foi expirado e nenhuma solução dada. “Ele pediu que a gente aguardasse um pouco mais porque estão elaborando um plano para dar suporte para o Estado de Roraima e não mais à Acolhida. Avisamos ao ministro que semana que vem, se o governo não tiver um posicionamento, nós iremos fazer [obstruções] na votação das MPs que entraram em pauta”, esclareceu o líder dos republicanos, deputado Jhonatan de Jesus.

 “Há três semanas fizemos [Republicanos] um processo de obstrução juntamente com o PL (Partido Liberal), do deputado Edio Lopes, e com o PP (Partido Progressista), do deputado Hiran Gonçalves. Nosso objetivo era chamar atenção do governo federal e de autoridades como o ministro-chefe da Casa Civil, General Ramos, e o próprio presidente Bolsonaro que falou do amor e do carinho que tem por Roraima”, explicou.

PUBLICIDADE

Na ocasião, a bancada pediu para que a afetividade que o presidente disse ter fosse demonstrada na prática. “Não somos contra a [Operação] Acolhida. Nós queremos que a Acolhida seja feita de verdade, através de um processo de interiorização, e que não fique mais ninguém em Roraima. Que os que já estão façam o processo de interiorização. A Acolhida pode ser implantada no Amazonas, no Acre, no Pará, no Rio Grande do Sul e em São Paulo, ou seja, nós temos estados maiores com capacidade de geração de empregos maior, capazes de receber os venezuelanos e a Acolhida daria o mesmo suporte em outras Unidades da Federação. É preciso tirar o fluxo de Roraima”, acrescentou o republicano.

Outro ponto levantado pelos deputados é que o governo representa a nação, por isso deveria cuidar de Roraima que não pode ser esquecido como território nacional. “Nós estamos pedindo para que ele mande suplementação de crédito e que mande uma medida provisória para abertura de crédito extraordinário, assim como foi feito com a Acolhida, porque o Estado e as prefeituras estão bancando saúde, educação, infraestrutura para os brasileiros e para os venezuelanos, então, hoje a oferta dentro dos hospitais, nas escolas, por moradia e até na geração de emprego é grande e há uma disputa entre roraimenses e venezuelanos”, salientou De Jesus.

Jhonatan ainda reforçou a preocupação com o aumento dos números de homicídios e de outros crimes. “Então tem que vir suporte para segurança pública e é isso que estamos pedindo, que o governo federal mande de fato abertura de créditos para que o governo do Estado possa ter suporte. Nós estamos há dois ou três anos com o governo do Estado bancando 100% das despesas que são de responsabilidade da União”, declarou. (J.B)

***
Gostou?
9
2
truth disse: Em 12/09/2019 às 15:13:43

"Eu não esqueço é do voto do seu Mecias contra o decreto de armas ! "