Comunidade Xaary recebe trator adquirido pela Funai com emenda de Joenia - Folha de Boa Vista
CONTEÚDO PATROCINADO
Comunidade Xaary recebe trator adquirido pela Funai com emenda de Joenia
Comunidades Wai Wai recebem deputada Joenia com festa na entrega de trator adquirido com emenda destinada à Funai
Por Folha Web
Em 05/10/2021 às 08:14
Entrega ocorreu neste sábado, 03, na Terra Indígena Wai Wai, no Município de São João da Baliza. (Foto: Lohana Chaves)

A Comunidade Xaary, na Terra Indígena Wai Wai, no Município de São João da Baliza, no Sul de Roraima, realizou uma solenidade para celebrar a entrega de um trator adquirido pela Fundação Nacional do Índio (Funai), com recurso de emenda parlamentar da deputada Joenia Wapichana (REDE). Na manhã de sábado, 03, a deputada e os parceiros de projetos foram recebidos com festa no malocão comunitário.

Os convidados foram acolhidos com uma recepção animada pela banda musical da comunidade Xaary, acompanhada por adolescentes e jovens indígenas que cantaram uma música com a letra que homenageia a deputada Joenia. Além de representantes de entidades e órgãos parceiros, estavam presentes o líder indígena Davi Kopenawa Yanomami, o prefeito de Uiramutã, Tuxaua Benísio (REDE), e o coordenador do Conselho Indígena de Roraima (CIR), Edinho Batista.

Jovens Wai Wai fazem a recepção da deputada e dos convidados para a solenidade (Foto: Lohana Chaves)

 O momento foi especial porque a entrega do trator representa um passo decisivo para melhorar a atividade de coleta de castanha-do-Brasil, a principal daquela etnia, e dar um impulso na produção agrícola e atividades econômicas sustentáveis desenvolvidas pelas comunidades Wai Wai.

A deputada Joenia afirmou que aquele momento não era apenas simbólico para marcar e celebrar a parceria do mandato com a comunidade Wai Wai e a Funai, mas também histórica porque se trata da concretização de mais uma emenda parlamentar destinada para aquisição do trator, principal demanda priorizada pelos Wai Wai.  O tuxaua da Comunidade Xaary, Zacarias Zakahai Wai Wai, e o presidente da Associação dos Povos Indígenas Wai Wai Xaary (APIWX), Valdeci Noro Wai Wai, conduziram a solenidade.

Ao agradecer a parceria com a Funai, Joenia Wapichana lembrou que sem a boa vontade do órgão executor não é possível concretizar a emenda destinada para atender às demandas das comunidades. A deputada rebateu o discurso anti-indígena de que "índio é preguiçoso" e disse que o projeto desenvolvido na Terra Indígena Wai Wai é a melhor resposta para mostrar que as populações indígenas produzem de forma sustentável e que, para aumentar a produtividade, só precisam de investimento.

A deputada Joenia afirmou que o projeto desenvolvido pelo povo Wai Wai precisa ser divulgado para que o mundo saiba da capacidade dos povos indígenas  em desenvolver atividades econômicas autossustentáveis, enquanto existe uma campanha de políticos para desmoralizar os povos indígenas e projetos de lei do governo que tentam abrir as terras indígenas para o agronegócio e o garimpo, bem como até impedir demarcações e retirar das comunidades as terras já demarcadas.

O representante da Funai, o zootecnista Jovino Luiz Alba, disse que vem mantendo parcerias para garantir a efetivação do projeto de coleta de castanha e lembrou que os recursos são escassos, por isso enalteceu a importância dessa parceria com o mandato da deputada Joenia. Afirmou que as emendas contemplam, além do trator com carreta para transporte, aquisição de kits de casa de farinha, compra de ovinos e equipamentos agrícolas, projetos este que irão beneficiar outras comunidades indígenas.

Também estavam presentes no evento representantes do Instituto de Educação Superior Indígena Insikiran da Universidade Federal de Roraima (UFRR), parceiros do povo Wai Wai, e o vice-prefeito de São João da Baliza, Sebastião Pereira (DC). Todos os convidados puderam falar e suas mensagens eram traduzidas para as lideranças de nove comunidades presentes, incluindo Trombeta Maupera, que integra a terra indígena.

O tuxaua da Comunidade Xaary, Zacarias Zakahai, relembrou a luta pela demarcação de suas terras como garantia de sobrevivência de seu povo e disse que a destruição das matas até hoje tem reflexos, como a derrubada das castanheiras, que é a base da economia das comunidades.

Por isso, ele ressaltou a importância da luta da deputada em defesa dos povos indígenas e reforçou a necessidade de continuar com a parceria para que as comunidades tenham autossustentação. "Como foi dito aqui, nós temos produção e só precisamos de investimento", disse.

Aquisição de trator dará novo impulso a projeto que exporta 60 toneladas de castanha para grande empresa de SP

Trator entregue a Comunidade. (Foto: Lohana Chaves) 

Entrega do trator é a concretização de mais uma emenda parlamentar da deputada Joenia Wapichana

O projeto da coleta de castanha foi iniciado em 2009 pelas comunidades Wai Wai, que receberam treinamentos e acompanhamento. Mas a efetivação do projeto ocorreu apenas em 2017 com novas parcerias: o assessoramento do Instituto Socioambiental (ISA) e apoio da Funai.

Os Wai Wai deram um novo passo em 2018, chegando à coleta de 100 toneladas de castanha. Em 2020 foi dado início ao contrato com uma grande indústria de produção de pães de São Paulo, a Wick Bold, que compra 60 toneladas anuais de castanha dos Wai Wai.

Conforme o assessor do ISA, Felipe Reis, a castanha é enviada para ser beneficiada em Belém (PA), antes de ser exportada para São Paulo. O ISA acompanha todo o processo, da coleta ao beneficiamento, inclusive financiou a construção de uma barracão para armazenamento da castanha.

Segundo ele, o trator adquirido com a emenda da deputada Joenia Wapichana irá melhorar não só a logística de transporte, como também ampliar os trabalhos em áreas inacessíveis e acabar com a dependência do pagamento de frete pelo transporte feito por não indígenas.

O trator também será imprescindível para aumentar a produção, uma vez que a coleta de castanha feita pelas comunidades atende a outras demandas além da exportação para São Paulo.

Deputada Joenia participou de seminário regional que avaliou conquistas e desafios dos indígenas na política partidária

Joenia durante seminário na Tabalascada. (Foto: Lohana Chaves)

Deputada Joenia Wapichana fez uma avaliação sobre a conquista do mandato para o movimento indígena

Lideranças de todas as comunidades indígenas da Região Serra da Lua, que abrangem os municípios de Bonfim e Cantá, participaram do Seminário Regional sobre Políticas Públicas, com o tema "Conquistas e Desafios dos Povos Indígenas Frente à Política Partidária". Foram três dias de discussão, no Barracão do Centro Comunitário da Comunidade Tabalascada, no Cantá, cujo encerramento ocorreu neste sábado, 02.

A presença da deputada Joenia Wapichana (REDE) no segundo dia de evento,1º de outubro, não representava apenas a participação de uma parlamentar indígena, a única mulher indígena no Congresso Nacional. A deputada é a representação do resultado concreto da política indígena que decidiu, na "política do malocão", ter uma mulher indígena na Câmara Federal. "É o desafio cumprido de ter uma representante indígena", avaliou Joenia.

A deputada falou que o seminário tinha o desafio de avaliar não somente a conquista da eleição de Joenia Wapichana, única parlamentar da REDE no Congresso, mas uma conquista dos povos indígenas na política partidária. "Temos que celebrar. Essa conquista foi muito além da questão indígena, mas como instrumento de uma conquista e de uma estratégia", disse ela ao lembrar que essa estratégia também foi responsável por eleger o vice-prefeito de Bonfim, Mário Nicácio, que também estava presente ao evento.

Joenia explicou que esse desafio de um mandato indígena na política partidária não é só dela, indicada como candidata pela Assembleia Geral dos Povos Indígenas, ou de Mário Nicácio e do prefeito de Uiramutã, Tuxaua Benísio (REDE), eleitos também como estratégia da "política do malocão", mas um desafio que deve ser assumido pelos povos indígenas. "Ali foi testada nossa força como povos indígenas de Roraima. Foram testados todos os que decidiram na Assembleia Indígena dos Povos Indígenas de eleger um representante indígena", destacou.

A deputada disse que foi um passo importante e que acabou sendo estratégico não só para os povos indígenas de Roraima, mas para os povos indígenas de todo o Brasil, uma vez que o país vive tempos de grande conturbação para toda a sociedade, e não apenas para os indígenas.

Joenia lembrou que a Câmara Federal não tem apenas uma bancada anti-indígena (inclusive lembrou foi atacada por um deputado de Roraima que disse que ela não representava todos os indígenas), mas também que ataca direitos sociais, direitos humanos, direitos da mulher e que tenta retirar garantias dos servidores públicos e direitos sociais da população.

Ao comentar sobre a tramitação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 32 que tenta acabar com o concurso público no país, também alertou sobre a crise econômica que o país está passando, com o aumento dos preços, inclusive da carne, a falta de emprego para os jovens, educação pública fragiliza e outros desmontes cometido pelo atual governo.

A deputada afirmou que se elegeu dentro desse contexto de ataques aos direitos dos povos indígenas e da população brasileira. Caso ela não estivesse lá, no Congresso, como primeira mulher indígena eleita deputada federal e única parlamentar indígena no Brasil, não haveria ninguém para falar pelos indígenas e pelos mais vulneráveis do país. "Temos vitórias a comemorar, por poder falar por nós mesmos, poder  defender os povos indígenas e propor", comentou.

O coordenador regional da Serra da Lua, tuxaua Clóvis Ambrósio da Silva, complementou a fala da deputada. Além de ter sido pioneiro na defesa dos direitos indígenas na saúde e em defesa da demarcação de terras indígenas, Clóvis também foi quem incentivou Joenia a aceitar a indicação de seu nome pela assembleia indígena. Ele também fez perguntas sobre o andamento das emendas da deputada para as comunidades indígenas da região, as quais foram detalhadas por Joenia.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
13
4
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!