PUBLICIDADE
OPERAÇÃO ACOLHIDA
Ministro Onyx Lorenzoni deve visitar Roraima na próxima quinta
Viagem foi anunciada pelo próprio chefe da Casa Civil, que informou que vem ao Estado para verificar atividades da Operação Acolhida
Por Paola Carvalho
Em 24/08/2019 às 00:07
Presença do ministro da Casa-Civil marca a terceira visita de membros da equipe de gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) a Roraima (Fotos: Agência Brasil)

O ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, deve chegar a Roraima na próxima quinta-feira, 29 de agosto, com objetivo de verificar as atividades da Operação Acolhida do Exército Brasileiro no atendimento aos refugiados venezuelanos. A vinda ao Estado foi anunciada pelo próprio ministro em entrevista à imprensa nacional na quinta-feira, 22, porém Lorenzoni não havia informado uma data prevista para a viagem.

Durante a entrevista, o ministro foi questionado sobre as informações de altos índices de desmatamento na Amazônia. Em resposta, Onyx afirmou que teria uma agenda mais importante na região norte do país. No caso, vir a Roraima “para fazer visita e conferir as atividades da Operação Acolhida, que atende refugiados venezuelanos”.

O coronel Castro Freitas, da Assessoria de Comunicação da Força-Tarefa Logística Humanitária, responsável pelas atividades da Operação Acolhida, no estado, confirmou que o ministro pretende vir a Roraima na próxima semana, mas não especificou a lista de atividades durante a sua visita. “Por enquanto sabemos apenas que [Lorenzoni] pretende vir em 29 de agosto. Ainda não temos informações da agenda do Ministro”, ressaltou.

PUBLICIDADE

A Folha também entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da Casa Civil para obter mais informações sobre a vinda do ministro ao estado, período em que deve permanecer em Roraima, além das cidades que deve visitar, porém, não recebeu retorno até o fechamento da matéria.

VISITAS – A presença do ministro da Casa-Civil marca a terceira visita de membros da equipe de gestão do presidente Jair Bolsonaro (PSL) a Roraima. Em janeiro aconteceu a visita de uma comitiva interministerial formada pelos ministros da Defesa, Cidadania, Transparência, Saúde, Educação e da Secretaria Nacional da Justiça. O objetivo era verificar as ações de acolhimento aos migrantes venezuelanos e oficializar a prorrogação da Operação Acolhida até março de 2020.

A segunda visita ocorreu em abril durante evento “Ligando o Brasil, desenvolvendo os Estados”, que contou com a presença dos ministros de Minas e Energia, Bento Albuquerque, ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Marcos Pontes, e demais representantes dos ministérios da Agricultura, Meio Ambiente, Mulher, Família e Direitos Humanos, Secretaria do Governo da Presidência da República e Fundação Nacional do Índio (Funai). Na ocasião, o objetivo era abordar a situação de instabilidade energética e de acesso regular à internet, além de outras demandas do Estado. 

Vale ressaltar que o Estado também foi palco de recente visita do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli; do Alto Comissário da ONU para Refugiados, Filippo Grandi, e de uma comissão externa para tratar sobre os impactos da crise venezuelana em Roraima, da Câmara dos Deputados, formada pelos parlamentares Nicoletti (PSL-RR), Eduardo Bolsonaro (PSL/SP), Coronel Chrisóstomo (PSL/RO), Delegado Pablo (PSL/AM), Delegado Waldir (PSL/GO), General Girão (PSL/RN), José Medeiros (PODE/MT) e Roberto Pessoa (PSDB/CE). (P.C.)

***
Gostou?
1
1
Mário Jorge Colares Farias disse: Em 24/08/2019 às 10:27:02

"Adalberto é policial militar. Contou-me a seguinte história: Ele quando garoto morava em mucajaí e ajudava na manutenção da igreja católica de lá. O padre tinha uma criação de jabutis; os bichos eram criados em um chiqueiro como bichos de estimação. Certo dia, o padre chamou a molecada e disse que eles receberiam uma visita de padres que vinham do Vaticano ao Brasil e a igreja por está na região amazônica fora escolhida para recebê-los. O padre então mandou a molecada dar banho nos jabutis, enxugar e depois passas graxa incolor de sapato. Adalberto me contou que foi a coisa mais incrível que os padres viram em toda viagem. Meio dia; que foi a hora da visita; quase nem se conseguia olhar para os bichos de tanto que eles brilhavam. Moral da história: NÃO VAMOS PASSAR GRAXA DE SAPATO NOS JABUTIS!!!"