PUBLICIDADE
ABAIXO DA LINHA DA PROBEZA
Miséria não é tolerável, dizem vereador e ex-deputado estadual
Dados divulgados pelo IBGE revelam que mais de 160 mil pessoas vivem abaixo da linha da pobreza em Roraima
Por Alberto Cruz
Em 19/08/2019 às 00:30
Agenda da Semana recebeu o ex-deputado Joaquim Ruiz e o vereador Linoberg Almeida para discutirem o tema (Foto: Diane Sampaio / Folha BV)

Um assunto sério e preocupante voltou à cena pelas ondas da Rádio Folha FM 100.3, nesse domingo (18). O tema ‘Roraima tem algo em torno de 167 mil pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza’ foi analisado pelo vereador Linoberg Almeida (Rede) e pelo ex-deputado Joaquim Ruiz. Em Roraima, 35% de 465,3 mil habitantes vivem com uma renda abaixo de R$ 406 por mês, segundo o IBGE.

O vereador Linoberg Almeida disse que essa situação é inaceitável. “Uma realidade como essa não pode ser considerada natural. Só se naturaliza a pobreza aquelas pessoas que tratam essa questão como falta de dinheiro para sobreviver. Mas não é assim. O que tem por traz dessa miséria é a falta de cidadania. Quando se fala em pobreza é você não ter acesso a padrão de sociabilidade mínimo, acesso à saúde, à educação, que no Brasil estão prescritos na Constituição Federal por meio do Sistema Único de Saúde e pelo Sistema de Educação Público. Não temos cidadania efetiva porque a participação é de mentirinha, pois se resume somente na hora de votar, então a gente não cobra e os parlamentares que são eleitos se calam com uma situação como essa”, ressaltou.

“Se estamos falando de Roraima, quando temos 167 mil da população abaixo da linha de pobreza, imagina um país como o Brasil, onde mais de 25% das pessoas são miseráveis. Ou seja, existe cerca de 30 milhões de pessoas muito pobres. Em um país que é a oitava economia do mundo, é inaceitável essa situação. Mesmo você tendo experiências dos últimos 10, 15 anos, de transferência de renda mínima para essas pessoas, nos últimos anos foi retirado o acesso a esses benefícios como o Crédito do Povo e ao programa Bolsa Família. Obviamente que sem projetos de desenvolvimento de curto, médio e longo prazo, as pessoas que eram dependentes dessa transferência de renda vão ficar abaixo da linha da pobreza, o que vai gerar problemas sociais gigantescos”, reconhece o vereador. 

PUBLICIDADE

Precisamos de políticas públicas de desenvolvimento, diz Joaquim Ruiz 

O ex-deputado estadual Joaquim Ruiz reconhece que o número de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza em Roraima é assustador. “Isso é inaceitável e não se justifica porque quando se tem as receitas que entram no Estado e são transformadas em renda per capta, temos a segunda melhor renda da região Norte. Eu vejo que precisamos de políticas públicas de desenvolvimento, mas não aquela que começa hoje e quando muda o governo se esquece de toda a política de desenvolvimento implantada anteriormente. Esses estados que não têm ações consistentes são os que mais sofrem”, disse. 

Ruiz comentou que teve o cuidado de verificar aquilo que se pode fazer em curto em prazo, pois, segundo ele, não adianta falar em políticas públicas e não dar ideias que gerem empregos e oportunidades. “Poderiam ser adotados os centros comunitários de geração de emprego e renda, como aquele próximo da Secretaria Estadual de Trabalho e Bem-Estar Social, um projeto que não foi para frente mesmo tendo recursos federais disponíveis no Ministério do Trabalho para que fosse implantado em cada bairro da cidade. Inclusive, à época, foram realizadas pesquisas junto à sociedade para que fossem identificados quais tipos de serviços seriam colocados à disposição das pessoas, que gerassem renda”, comentou. (E.R.)

***
Gostou?
3
1
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!