PUBLICIDADE
AGENDA PARLAMENTAR
Projeto de Lei quer padronizar velocidade dos pardais na Capital
Intenção é que limite de velocidade seja o mesmo sem distinção por trecho; proposta já foi aprovada na Câmara Municipal e aguarda sanção do Poder Executivo
Por Paola Carvalho
Em 20/06/2019 às 11:10
Vereador Júlio Medeiros (Podemos). (Foto: Diane Sampaio/Folhabv)

A implantação da fiscalização de trânsito motivou a criação de um projeto de lei, já em discussão na Câmara Municipal de Boa Vista. O objetivo é padronizar os radares de velocidade na Capital, sem distinção entre ruas e avenidas.

De autoria do vereador Júlio Medeiros (Podemos), a proposta foi apresentada no ano passado em plenário na Câmara Municipal, oriundo de uma audiência pública realizada também na Casa.

“Nós tínhamos a preocupação de saber se a empresa responsável pela implantação dos radares tinha os pré-requisitos de fiscalização necessários conforme o Conselho Nacional de Trânsito para o convênio com a Prefeitura”, informou o vereador durante o programa Agenda Parlamentar na Rádio Folha 100.3 FM no sábado, 15.

PUBLICIDADE

Medeiros explica que na audiência, que contou com a presença do secretário municipal de Segurança Urbana e Trânsito, Raimundo Barros, entre outros representantes; foram apresentados documentos que afirmavam que os pontos onde estavam sendo colocados os pardais eram os pontos com maior incidência de acidentes, além de atender todas as normas federais de trânsito.

“Porém, depois da instalação dos pardais, a população boa-vistense passou a viver outro dilema. Em um trecho da Avenida Ville Roy em direção ao bairro Caçari há um sinalizador dizendo que a velocidade permitida é  60 quilômetros por hora. Na mesma avenida, em direção à Rodoviária Internacional de Boa Vista, há uma nova sinalização com velocidade permitida de 50 quilômetros por hora”, destacou.

Por conta dessa diferenciação em diversos trechos, o vereador afirmou que havia interesse de todos os parlamentares da Câmara Municipal em padronizar a velocidade permitida. Medeiros ressalta ainda que o objetivo não é impedir a fiscalização de trânsito, mas adequá-las a uma regularidade.

“O pardal, apesar de particularmente achar que não precisaria ter o radar, entendo que é uma prerrogativa da Prefeitura. Entendo também que o pardal traz o seu avanço. Já que foi aprovado, o intuito é de sensibilizar a gestão municipal para que o uso da fiscalização seja o melhor possível”, avalia.

Além da padronização, o vereador afirma ainda que é necessária a padronização das placas de trânsito e das mensagens pintadas no asfalto que avisam da proximidade da fiscalização alguns metros adiante.

“Com todas as placas indicativas conforme diz o Contran e a sinalização no asfalto. Em outro trecho da Avenida Ville Roy, se o condutor não tiver olhando para o pardal ele não vai ver que a fiscalização está próxima. Ou seja, o motorista tem que prestar atenção no pedestre, no trânsito, no carro e desviar o olhar da rua para o pardal. Se tiver pintado no asfalto a velocidade seria muito melhor”, complementou Medeiros.

Por fim, o vereador afirma que o projeto de lei já foi aprovado em plenário na Câmara e agora aguarda pela sanção da prefeita Teresa Surita. A expectativa de Medeiros é que com a padronização da velocidade haverá uma melhora na educação e conscientização dos motoristas da Capital, algo que ocorreu há alguns anos na campanha do uso correto da faixa de pedestres.

“Hoje em dia, quando recebo pessoas vindas de outros estados, eles percebem que somos um dos poucos locais que respeita a faixa. Houve um esforço de tornar um trânsito melhor e acredito que podemos fazer o mesmo com os pardais. Agora, não pode o cidadão boa-vistense se sentir lesado. Acredito que tem tudo para que o projeto de lei seja sancionado pelo Poder Executivo”, finalizou. (P.C.)


***
Gostou?
9
0
MARCOS ROBERTO DE LIMA E SILVA disse: Em 22/06/2019 às 18:49:55

"Devia era acabar com os pardais pois se mostram que estão somente para roubar os cidadãos do municipais e outra finalidade"