PUBLICIDADE
GOVERNO DO ESTADO
Roraima poderá receber R$ 300 milhões da Sudam até 2024
O superintendente da Sudam, Paulo Roberto Correia, entregou o protocolo que formaliza a inclusão de 17 convênios no Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia
Por Paola Carvalho
Em 09/08/2019 às 00:30
Informação é que recursos serão divididos em convênios que contemplam a infraestrutura rural e urbana, além do setor produtivo (Foto: Secom-RR)

Roraima poderá receber a quantia de R$ 300 milhões da Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) até 2024. Os valores são oriundos de 17 convênios que contemplam o Estado e que foram incluídos no Plano Regional de Desenvolvimento da Amazônia (PRDA).

A expectativa é que posteriormente os projetos sejam incluídos no Plano Plurianual (PPA) nacional, instrumento que direciona os investimentos do Governo Federal para os anos seguintes.

O protocolo que formaliza a inclusão destes projetos no PRDA foi entregue na quinta-feira, 08, na sede do Governo do Estado, pelo superintendente da Sudam, Paulo Roberto Correia. Na ocasião, Correia afirmou que a intenção é garantir mais investimentos para o setor privado e consequentemente melhorar a qualidade de vida da população.

PUBLICIDADE

“Nós temos mais de R$ 100 milhões em execução em Roraima. Estamos construindo a esperança dos roraimenses em alguns municípios que têm convênios em quantia superior a R$ 10 milhões. No final deste trabalho, teremos um Roraima com infraestrutura diferenciada, mais apropriada, mais próspera para os investimentos do setor privado”, afirmou.

Quanto aos 17 projetos incluídos no PRDA, o superintendente explicou que a ideia é que todos sejam transformados em lei e que os recursos comecem a ser destinados a partir de 2020.

“Viemos entregar os projetos que foram incluídos no PRDA e que posteriormente serão incluídos no PPA nacional. Eles serão votados pelo Congresso Nacional. Com esse investimento, damos um passo à frente para que Roraima realize o sonho de ter infraestrutura de qualidade, tornando-se um celeiro de investimentos na região amazônica”, pontuou.

Presente na entrega do protocolo, o titular da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), Emerson Baú, ressaltou que a Sudam é uma parceira estratégica de Roraima quando se trata da mudança da matriz econômica.

 “A Superintendência [Sudam] teve uma abertura de chamada para projetos, nós consolidamos via Seplan [Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento] e apresentamos projetos nas áreas de infraestrutura urbana e rodoviária, para fazer o escoamento da produção e projetos no setor produtivo, entre eles, incremento na assistência técnica, processos de melhoria no fornecimento de insumos, na questão de equipamentos para poder fazer a geração e agregação de valor para o setor produtivo”, afirmou.

SUDAM – A Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia (Sudam) é ligada ao Ministério do Desenvolvimento Regional e tem como missão promover o desenvolvimento includente e sustentável de sua área de atuação e a integração competitiva da base produtiva regional na economia nacional e internacional. 

Entre as suas principais competências estão: definir objetivos e metas econômicas e sociais que levem ao desenvolvimento sustentável de sua área de atuação; formular planos e propor diretrizes para o desenvolvimento em consonância com a Política de Desenvolvimento Regional (PNDR), além de propor diretrizes para definir a regionalização da Política Industrial, Tecnológica e de Comércio Exterior (PITCE).

***
Gostou?
1
1
ADNIL BARROS CAVALCANTE disse: Em 11/08/2019 às 11:17:33

"Em complemento ao meu comentário feito em 09.08, ainda não publicado, vale mencionar que o Banco da Amazônia deixa de aplicar recursos do FNO, que possui encargos financeiros baratíssimos, em Roraima face os produtores rurais, principalmente mini e pequenos, não possiirem os títulos de propriedades de suas posses, fato que impossibilita que o Banco firme operações de INVESTIMENTOS no Estado. Assim, urge que a bancada de RR, independentemente de partido, faça gestão firme em Brasília para que o tão esperado Assentimento Prévio do Conselho de Defesa Nacional (CDN) seja concedido, afinal já são dez anos que se busca tal autorização é nada acontece. Fica o apelo aos nossos parlamentares, a fim de que o setor primário de nossa economia alavanque, gerando, consequentemente, ocupação, emprego e renda ao homem do campo. Oremos para que o Assentimento Prévio saia dentro da brevidade possível, bem como o Linhão de Tucuruí que trará energia confiável a toda a população de RR."