PUBLICIDADE
DIA DE MANIFESTOS
Polícia Civil inicia paralisação de 72 horas
Tanto os serviços de registro de ocorrência quanto os trabalhos do IML ficam suspensos em razão dos atrasos de salários dos servidores do Estado
Por Minervaldo Lopes
Em 05/12/2018 às 08:02
Com a paralisação, nenhum registro será feito na Central de Flagrantes do 5º Distrito Policial (5º DP) (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

A partir desta quarta-feira, 5, todos os serviços relacionados ao registro de ocorrências e perícia criminal estarão suspensos pelo período de 72 horas. A decisão foi tomada após a realização de assembleia geral realizada no início desta semana na sede do Sindicato dos Policiais Civis de Roraima (Sindpol).

"Nós sempre dávamos um jeito de manter os serviços, só que agora não temos mais condições para permanecer trabalhando. A decisão da categoria é parar todos os serviços, destacando ainda que essa não é apenas uma questão de salários, mas também por melhores condições de trabalho", destacou o presidente da entidade, Leandro Almeida, em entrevista concedida aos veículos do Grupo Folha na segunda-feira, 3.

Com a decisão, nenhum registro será feito na Central de Flagrantes do 5º Distrito Policial (5º DP), que até então era a única unidade a realizar atendimentos a população. Delegacias do interior também foram incluídas na medida.

Os serviços de perícia e recolhimento de corpos também passam a ficar paralisados nesse período, segundo mencionou o sindicalista. Ele também reforça que o movimento é pacífico, justo e ordeiro e que a concentração de servidores na capital ocorrerá no 5º DP.

"DINHEIRO, DIGNIDADE, SALÁRIOS JA!", GRITAM SERVIDOR NA SEFAZ

Grupo de servidores em frente ao portão lateral da Sefaz (Foto: Divulgação)

Como adiantado mais cedo pela reportagem, servidores estaduais fecharam nesta manhã a Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz). Parte do grupo está concentrado no portão lateral do prédio do órgão, que fica no Centro da Capital.

Com faixas e gritos de ordem, os trabalhadores exigem que o Governo tomem providências a cerca dos atrasos de salários. Os demais poderes [Assembleia Legislativa, Tribunal de Justiça, Tribunal de Contas e Ministério Público] também estão sendo chamados a se responsabilizar sobre a situação dos servidores.

O ato desta manhã ocorre um dia após os poderes discutirem na ALE o projeto de lei que pode permitir a utilização dos recursos do Instituto de Previdência de Roraima (Iperr) para o pagamento de vencimentos em atrasos.

Outras informações você confere na FolhaWeb

***
Gostou?
15
0
PUBLICIDADE
socorro disse: Em 05/12/2018 às 10:19:14

"ABSURDO, ESSAS PESSOAS TEM SEUS COMPROMISSOS. ESTUDARAM PARA RECEBER, ENQUANTO ISSO COMISSIONADOS DA SESAU, EMPREGO POLITICO, RECEBEM EM DIA."