NA ZONA OESTE
Policial civil é assassinado com facada no pescoço
Ele ainda chegou a ser socorrido, mas perdeu muito sangue e morreu ainda no local do crime
Por Tarsira Rodrigues
Em 12/03/2018 às 00:54
Vítima foi esfaqueada com um golpe no pescoço (Foto: Divulgação)

Neste final de semana o agente de polícia, Edésio Cardoso de Souza Filho, 37 anos, foi assassinado com uma facada no pescoço. O policial chegou a ser atendido pelo Serviço Móvel de Atendimento de Urgência (Samu), mas morreu ainda no local devido ao grave ferimento.

O fato ocorreu por volta das 5h da manhã de sábado, 10, na rua Vereador Manoel Joaquim Martins, bairro Silvio Botelho, zona oeste de Boa Vista. O acusado do crime seria o ex- cunhado da vítima, identificado como F. da S. S., 27, que confessou o crime e foi preso em flagrante por homicídio qualificado e já está cumprindo pena no Sistema Prisional de Roraima.

Segundo a Policia Militar (PM), o crime aconteceu após uma discussão entre vítima e acusado, no momento em que Edésio teria ido à casa dele procurar a ex- namorada que é irmã do acusado, porém, segundo a polícia, a envolvida não reside mais naquele endereço.

“A vítima teve um relacionamento conjugal com a irmã do infrator há uns 10 anos, e foi à casa procurar a moça, sendo que o irmão dela o recebeu na residência, houve uma breve discussão e o acusado desferiu um golpe de arma branca tipo peixeira, no pescoço da vítima que morreu ainda no local”, reafirmou a polícia militar, ao completar que o infrator foi preso minutos após o crime, em uma residência localizada na rua S-5 nas proximidades do ocorrido.

Edésio trabalhava na delegacia de Acidentes de Trânsito (DAT) e os colegas de profissão consideravam o agente da Polícia Civil um profissional trabalhador e bom companheiro.

Polícia afirma que agente foi morto sem chance de defesa

O delegado acrescentou que foram realizadas perícias no local e não foram encontrados vestígios de luta ou confronto entre o infrator e a vítima, o que não corrobora com a versão do flagranteado. O delegado disse ainda que o policial estava desarmado no momento do ocorrido.

"As provas colhidas não indicam a ocorrência de legítima defesa, não há relatos de que a vítima estivesse armada. Pelo contrário, o infrator confessou que se armou com uma faca na cozinha e que atingiu a vítima pela janela, ou seja, a vítima sequer havia entrado na casa", destacou a Polícia.

"O infrator afirmou ainda que houve desentendimento anterior e que tinha dito à vítima que não fosse mais a sua casa à procura de sua irmã. A vítima teria tido um relacionamento com a irmã do acusado há mais de dez anos, e estaria supostamente tentando reatar”.

O acusado foi indiciado pelo crime de homicídio qualificado (Art. 121, § 2, IV, do CP), por utilizar recurso que dificultou a defesa da vítima e foi encaminhado para audiência de custódia. O delegado salientou a importância do apoio dos policiais militares que atenderam a ocorrência nas diligências realizadas.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!