PUBLICIDADE
AÇÃO CONJUNTA
Polinter cumpre mandados de prisão na capital e Centro-Sul
Por Folha Web
Em 10/01/2019 às 11:00
Todos os detidos colaboraram com o cumprimento dos mandados, segundo informou a Polinter (Foto: Divulgação)

Uma operação conjunta envolvendo agentes da Polícia Interestadual (Polinter), Delegacia de Mucajaí, Departamento de Operações Especiais (Dopes) e Divisão de Inteligência e Captura (Dicap) da Secretaria de Justiça e Cidadania (Sejuc) resultou no cumprimento efetivo de quatro mandados de prisão na capital e região Centro-Sul do Estado.

As ações também contaram com o apoio de policiais militares da 3ª Companhia Independente da Polícia Militar de Fronteira (3ª CIPMFron) e 3º Pelotão da Vila Novo Paraíso.

De acordo com a Polinter, a primeira ação foi cumprida na vicinal Santa Rosa, região da Vila Itã, em Caracaraí, contra Raimundo dos Santos Soares, 66 anos. Conhecido como “Mundico”, o agricultor tinha um mandado de prisão preventiva expedida pela Vara de Crimes contra Vulneráveis de Boa Vista.

O crime de estupro da qual ele é acusado teria sido praticado contra a própria neta de 11 anos, que teria ficado grávida.

Na ocasião da prisão, os agentes recolheram uma arma de fogo, sendo autuado em flagrante por porte ilegal.

A segunda prisão ocorreu na Vila Novo Paraíso, divisa de Caracaraí com Rorainópolis. Com apoio de policiais militares, os agentes da Polinter conseguiram localizar e prender a foragida do sistema prisional Dhulli Damasceno dos Santos, 21 anos, vulgo “Nega”.

Segundo o órgão, a jovem é integrante de uma facção criminosa e foi condenada a 12 anos de prisão em regime inicialmente fechado. A mesma havia ganhado a permissão de cuidar do filho recém-nascido e frequentar à escola, no entanto, estava descumprindo a determinação judicial há aproximadamente dois anos. Seu pedido de prisão preventiva foi expedido pela 2ª Vara Criminal de Boa Vista.

Ainda segundo a Polinter, o crime praticado por Dhulli ocorreu em janeiro de 2016. Na ocasião, ela e outros sete indivíduos promoveram uma série de arrastões em residências da capital. Uma dessas ações, inclusive, foi praticada contra um casal, que foi amordaçado e torturado pelos criminosos.

Já o terceiro mandado foi cumprido no bairro Caranã contra o mecânico Osmar Raposo Ramos Filho, de 36 anos. Conhecido como “Filho”, sua prisão preventiva foi decretada a pedido da 1ª Vara do Tribunal do Júri, em razão de uma tentativa de homicídio praticado contra a ex-companheira.

Também na capital, os agentes da Polinter prenderam no bairro Buritis o técnico de enfermagem Andreaza Borges Sá, o “Fulinha”, de 33 anos. Ele foi condenado pela Vara de Entorpecentes e Organização Criminosa a pena de 16 anos e seis meses de prisão por tráfico e associação para o tráfico.

Todos os detidos foram encaminhados para exame de corpo de delito e nenhum deles dificultou o cumprimento das ações. No caso de “Mundico”, ele foi levado para audiência de custódia. Os demais foram encaminhados novamente para o sistema prisional.  

***
Gostou?
6
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!