JULGAMENTO ELEITORAL
Por unanimidade, TRE absolve deputado acusado de compra de voto
O deputado estadual Jalser Renier, do Solidariedade, teve a unanimidade de votos pela absolvição
Por Folha Web
Em 29/05/2018 às 07:25
Pleno absolveu, por unanimidade, Jalser Renier (Foto: Arquivo/Folha)

Por unanimidade, os juízes do Tribunal Regional Eleitoral (TRE) em Roraima absolveram em sessão realizada ontem, 28, o deputado estadual Jalser Renier (Solidariedade) da acusação de captação ilícita de sufrágio, a chamada compra de votos. O processo é referente ao pleito eleitoral de 2014.

A sessão de julgamento do processo foi uma das mais demoradas deste ano e durou mais de três horas. A denúncia foi feita pelo Ministério Público Eleitoral, que acusou o parlamentar de arregimentação indevida de indígenas, distribuição de tickets de combustível ao Sindicato de Taxistas e de entrega de bolsas de estudo a jovens, além de oferecimento de dinheiro no intuito de receber votos.O juiz eleitoral Jésus Nascimento se declarou suspeito por motivo de foro íntimo e o processo teve como relator Diego Oliveira.

A defesa de Jalser foi feita pelo advogado Henrique Sadamatsu, que pediu a nulidade da citação por conta da utilização de prova ilícita e pela impossibilidade material dos fatos descritos. Sustentou pela não participação do deputado nos fatos narrados e questionou a unilateralidade das provas produzidas pelo Ministério Público. “Não existia um arcabouço probatório suficiente para que se possa dar prosseguimento aos pedidos iniciais dessa ação. Inexistem provas de autoria e não têm materialidade os fatos alegados pelo Ministério Público”, explicou o advogado em conversa com a reportagem da Folha.

Segundo o Ministério Público, o parlamentar teria prometido entrega de vantagens pecuniárias a indígenas das comunidades Darora e Vista Alegre, localizadas no município de Boa Vista, para que os indígenas votassem nele. No entanto, as testemunhas não tinham qualquer prova da atuação do candidato na compra do voto. “A conclusão a que se chega é pela insuficiência de provas que possa concluir pela ciência ou participação ainda que indireta do candidato na compra de votos”, disse o advogado.

Sobre a distribuição de tickets a taxistas, que teriam feito propaganda política irregular, a partir de depoimento dos representantes de taxistas, o Ministério Público também não teria conseguido provar que de alguma forma o candidato seria beneficiado, pois a distribuição dos tickets teria sido feita no período compreendido entre o primeiro e o segundo turno das eleições do ano de 2014, quando Jalser Renier já não era mais candidato. “Essa denúncia não teve amparo em qualquer outro elemento de prova colhido pelo Ministério Público. Há ausência de provas para o que foi alegado e por isso foi julgada improcedente. O acervo probatório é insuficiente e voto pela improcedência da denuncia eleitoral”, declarou o relator juiz eleitoral Diego Oliveira, que foi acompanhado por todo o pleno do TRE.

wesleykenedy disse: Em 29/05/2018 às 16:24:49

"Lógico que foi absolvido, os votos desses senhores também. "Essa denúncia não teve amparo em qualquer outro elemento de prova colhido pelo Ministério Público", E serio que que vão produzir provas e deixa pro ministério publico colher? E PIADA é? "

rnuj disse: Em 29/05/2018 às 09:54:51

"O PIOR É QUE O POVO AINDA VAI VOTAR NELE! "

Ed disse: Em 29/05/2018 às 09:27:42

"Nós estamos mesmo é ferrado, a justiça brasileira de fato é uma vergonha, tem dois pesos e duas medidas, agora mesmo é que a impunidade vai imperar, deixando pro juizado de segunda instância, se o supremo se corrompe, imagine o baixo clero do judiciário. como diz o ditado, pro pobre os rigores da lei, pro rico, as benesses dela."

Rildo Lopes disse: Em 29/05/2018 às 09:06:19

"É o tipo de noticia em que so podemos sorrir....rsrsrsrsrs...e perguntar quando irá ser feito uma matéria ou investigação referente a obra do famoso Ginásio Canarinho?. Obra de recurso inestimável, onde vejo uma maquina sem condutor. "

Cruel disse: Em 29/05/2018 às 14:41:20

"Muito bem lembrado. Gostaria muito de saber o que foi feito com obras como a do Canarinho e do Parque Anauá, sem falar na Orla e no Terminal de ônibus."

Josy disse: Em 29/05/2018 às 08:46:13

"Enquanto houver dinheiro, muito dinheiro em jogo! Sempre haverá corrupção! "

Cruel disse: Em 29/05/2018 às 08:29:17

"Só rindo mesmo..."

Jesus está voltando! disse: Em 29/05/2018 às 08:25:29

"Quem tem dinheiro é assim mesmo, são todos da mesma laia. Só quem se lasca é o pobre coitado, que tem que acordar na maioria das vezes 5 da manhã, passar o dia todo trabalhando por um mísero salário, pra levar o sustento pra suas famílias. quero avisa-los que em breve chegará o dia em que vcs ficaram cara a cara com o Juiz dos juízes, dEste, não escapará ninguém. "

misael carvalhedo disse: Em 29/05/2018 às 06:32:34

"O Deputado não comprou votos??????KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK..........!"

Davi disse: Em 29/05/2018 às 06:08:57

"Essa justiça ainda continua cega de um ólho? Será que os políticos ainda não conseguiram recursos para ajudar a coitadinha?"

Vladi disse: Em 29/05/2018 às 05:58:51

"MEU DEUS!!!!!"

Jesus está voltando! disse: Em 29/05/2018 às 17:57:19

"2 Ateus detectados!"