IMIGRAÇÃO
Prefeitura quer saber quantos Imigrantes vivem em Boa Vista
A ação foi iniciada sábado, 09, quando 34 escolas da Capital participaram do "Mutirão de Escuta Acolhedora e Sistematizada", das 07h da manhã até as 17h
Por Paola Carvalho
Em 11/06/2018 às 07:07
Os dados devem ajudar no planejamento de ações e projetos de atendimento social (Fotos: Diane Sampaio)

Os imigrantes venezuelanos residentes em Boa Vista poderão participar da ação de mapeamento dos estrangeiros, organizada pela Prefeitura. A ação foi iniciada sábado, 09, quando 34 escolas da Capital participaram do "Mutirão de Escuta Acolhedora e Sistematizada", das 07h da manhã até as 17h.

De acordo com a Prefeitura, o objetivo da ação é saber com precisão quantos, desde quando e em que condições os imigrantes venezuelanos vivem na Capital. A expectativa é que quantificados os imigrantes em Boa Vista, o município possa elaborar planejamentos eficazes em áreas como saúde, educação e abrigo.

"Fazemos isso porque não podemos trabalhar com prognósticos. Precisamos ter o número real para podermos fazer as ações necessárias na área da saúde e na área da educação ou abrigo. Quer dizer, temos um fluxo permanente, todos os dias, e não chegam informações claras", disse a prefeita Teresa Surita (MDB).

Desde 2016, quando a imigração venezuelana se intensificou, não houve um levantamento tão abrangente, justifica a Prefeitura. A ideia é que essa base de dados favoreça um planejamento adequado para atender a nova realidade do município, sem prejudicar a população local e nem desamparar os imigrantes.

"A existência de dados oficiais também é fundamental para firmar parcerias com instituições públicas e privadas, além de outros países que se interessem em mandar ajuda humanitária", informou a prefeitura.

Conforme a prefeita, as informações também serão encaminhadas ao Governo Federal, no intuito de comunicar o impacto da migração em Boa Vista e cobrar outras ações. Teresa reforça que a realização de um censo foi o primeiro pedido feito ao Governo Federal e ele não aconteceu.

Até agora, só organizações não governamentais, voluntários e grupos ligados a Igrejas tem feito o mapeamento dos imigrantes. A Prefeitura está providenciando esses dados para discutir em cima da situação real, buscar soluções e cobrar a interiorização.

PRÓXIMO PASSO – As discussões com os órgãos responsáveis e o Governo Federal estão entre uma das primeiras ações previstas para tão logo o Município obtenha os resultados. A partir daí, será reforçado o pedido de interiorização para outros estados, porque Boa Vista não tem como suportar um número tão grande de pessoas.

AÇÃO – Segundo a PMBV, mais de 1.200 servidores municipais estiveram envolvidos na ação. Antes de dar início a esta etapa, os funcionários passaram por um treinamento de dois meses, com foco em atendimento humanizado.

Cerca de 60 mobilizadores permaneceram nas ruas no sábado, divulgando a ação junto aos imigrantes e detalhando a importância desta participação. Cada unidade contou com tradutores de espanhol para facilitar o atendimento e repasse de informações.

Centro de Informação será inaugurado hoje

Além do mutirão promovido no sábado, a Prefeitura inaugura hoje, 11, o Centro de Informação localizado na Avenida Brasil, no prédio do Grupamento Tático Municipal, em frente à Polícia Federal (PF-RR). O objetivo é dar continuidade ao mapeamento dos imigrantes que chegam à Boa Vista e normalmente se dirigem à PF em busca de informações e regularização documental.

De acordo com Elizabeth de Oliveira, coordenadora do programa Braços Abertos na PMBV, em frente a PF haverá o Centro de Informação destinado a coletar os dados das pessoas que acabaram de chegar.

Quem não pode ir ao mutirão no sábado, estava trabalhando ou não ficou sabendo, pode se dirigir ao Centro de Informação. “Lá nós teremos informações e orientações", destacou Elizabeth.

A coordenadora afirma que o sistema já utilizado pelo Programa Braços Abertos foi adaptado para o levantamento de dados, de forma que seja mais ágil. O setor ficará responsável pelo agrupamento de informações do mutirão e da inclusão dos dados no Centro de Informação.

"A gente precisa de um tempo para tratamento dos dados. Acreditamos que em poucas semanas ou dias, conseguimos ter alguns resultados oficiais", afirmou. A previsão é que o resultado do mapeamento seja divulgado na segunda quinzena de junho. (P.C.)

Manuel disse: Em 11/06/2018 às 09:14:45

"Já deve ser o suficiente para garantir uma eleição....."