NOS ÚLTIMOS DOIS ANOS
Roraima registra 360 casos de câncer de pele
Ação ocorreu neste sábado na Clínica Coronel Mota
Por Folha Web
Em 01/12/2018 às 18:15
Em Roraima, foram registrados 360 casos de câncer de pele nos últimos dois anos, o que faz o Estado ser o que mais registra casos da doença no Brasil (Foto: Divulgação)

Em Roraima, foram registrados 360 casos de câncer de pele nos últimos dois anos, o que faz o Estado ser o que mais registra casos da doença no Brasil.

A Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, que ocorreu em todo o Brasil neste sábado, 1º de dezembro, traz o tema: “Se exponha, mas não se queime”.  Em Roraima, a ação é resultado de parceria da CECM (Clínica Especializada Coronel Mota) com a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia).

  Segundo a médica dermatologista e coordenadora da ação, Ana Paula Vitti, é preciso uma atenção especial. “Vivemos sob a linha do equador, onde a incidência de ultravioleta A e B é muito grande. Estamos mais suscetíveis a desenvolver um câncer de pele. Nesta ação, vamos fazer o diagnóstico e garantir o tratamento”, disse.

Ainda de acordo com a médica Ana Paula, é fundamental o trabalho voltado para os cuidados com a pele. “É muito importante que a gente esteja cuidando da pele da população. A pele é o cartão de visitas do paciente. A pessoa que se cuida por fora se cuida por dentro. É uma educação que passamos para os nossos filhos e netos”, explicou.

Ela esclareceu que o uso do protetor solar deve começar nos primeiros meses de vida. “Aos nove meses os pais devem usar protetor solar nos bebês e expô-los por pouco tempo ao sol. O sol que a gente toma é acumulativo. Até os 18 anos, definimos nosso destino cancerígeno de pele”.

A diretora da CECM, Ellen Aragão, esclareceu que é o terceiro ano que a Campanha é realizada em Roraima. “É uma ação importante. Nós da Região Norte sofremos muito com o sol intenso. Temos um índice alto de câncer de pele. Essa ação atende aos pacientes que têm o câncer de pele e os que acham que podem ter algum indício da doença. Se após a avaliação o médico entender que é necessário fazer a biópsia, é feita na hora e, posteriormente, já tem a garantia do atendimento na CECM”, ressaltou.

Para a estudante do quarto ano do Curso de Medicina da UFRR (Universidade Federal de Roraima),  Fabiana Fabíola Teixeira, 22 anos, participar da Campanha é um ganho. “É relevante, porque temos uma prevalência grande de doenças dermatológicas e cânceres em Roraima. É importante para o enriquecimento profissional e também para os pacientes, que têm a oportunidade de ser atendidos gratuitamente por excelentes dermatologistas”, garantiu Fabiana, que faz parte da Liga Acadêmica de Dermatologia de Roraima.

Aguardando na fila para ser atendido, o microempresário Roberto Franco, 52 anos, disse que procurou participar da ação por conta de várias manchas na pele. “Não sei se é pela idade, ou se pelo sol, mas a médica vai dizer o que é preciso fazer. Trabalho bastante no sol e não me protejo”, disse.

A secretária Iris Tavares, 35, tem algumas manchas na pele aproveitou a Campanha Dezembro Laranja para se consultar.  “Fui muito bem atendida. Superou as minhas expectativas em termo de dermatologia. As recomendações foram para não tomar sol e usar bastante protetor solar”.

Em Roraima, foram registrados 360 casos de câncer de pele nos últimos dois anos, o que faz o Estado ser o que mais registra casos da doença no Brasil.

SINTOMAS E PREVENÇÃO – Entre os sintomas do câncer de pele, estão lesões que podem passar despercebidas, como uma mancha ou ferida que não cicatriza, apresentando coceira ou sangramento.

Esses sinais podem ser acompanhados de nódulos na pele, inchaço nos gânglios linfáticos, falta de ar ou tosse, dores abdominais e de cabeça, por exemplo. “Ao perceber qualquer um desses sintomas, a recomendação é procurar um médico imediatamente, pois quanto antes for detectado, maiores as chances de cura”, completou Ana Paula Vitti.

A principal recomendação para se proteger dos raios solares é o uso diário do protetor solar, com fator de proteção de no mínimo 30, que deve ser reaplicado a cada duas ou três horas, ou após longos períodos de imersão na água.

Utilizar chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV (ultravioleta) e roupas que cubram boa parte do corpo, também estão entre as medidas de prevenção, bem como manter uma boa hidratação corporal.



***
Gostou?
0
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!