DIA MUNDIAL DO LÚPUS: Entenda como a doença sem cura se desenvolve - Folha de Boa Vista
MAIO ROXO
DIA MUNDIAL DO LÚPUS: Entenda como a doença sem cura se desenvolve
A doença é mais comum entre mulheres jovens
Por Folha Web
Em 10/05/2021 às 15:29
Na maioria dos casos, a doença atinge  mulheres jovens, entre os 14 e os 45 anos, e seus sintomas têm tendência a surgirem desde o nascimento (Foto: Divulgação)

O  lúpus eritematoso sistêmico é uma doença autoimune que faz com que as células de defesa ataquem as células saudáveis do corpo, o que pode provocar inflamação em várias partes do corpo.  Rins, pulmões, pele e articulações são as áreas mais acometidas, porém a doença eventualmente atinge até cérebro e coração. 
Na maioria dos casos, a doença atinge  mulheres jovens, entre os 14 e os 45 anos, e seus sintomas têm tendência a surgirem desde o nascimento. Entretanto, é comum que a doença só seja identificada vários anos depois dos primeiros sintomas, devido a uma crise após uma infecção, uso de algum medicamento ou, até, devido à exposição exagerada ao sol.
Vale ressaltar que o lúpus é normalmente causado por mutações genéticas que ocorrem durante o desenvolvimento do feto no útero e, por isso, não é uma doença contagiosa que possa ser transmitida.

Sintomas
Os principais sintomas são febre acima de 37,5ºC, manchas vermelhas na pele, especialmente no rosto e outros locais expostos ao sol, dor muscular e rigidez, dor e inchaço das articulações, queda de cabelo, sensibilidade à luz e cansaço excessivo. 
Em alguns casos,  pacientes podem ter problema no pulmão, como tosse, falta de ar, às vezes alterações renais como diminuição da urina, manifestações do sistema nervoso que são mais raras, como quadros de convulsão e até mesmo de alterações psiquiátricas.

Tratamento
Apesar de não ter cura para o lúpus, existem alguns tratamentos, indicados pelo reumatologista, que ajudam a aliviar os sintomas e melhorar a qualidade de vida da pessoa.
O tratamento da doença varia de acordo com os sintomas manifestados e, por isso, é aconselhado consultar o médico especialista de acordo com o tipo de sintoma e o órgão afetado. Entretanto, geralmente, o tratamento consiste na ingestão de remédios anti-inflamatórios, corticoides, antimaláricos e imunossupressores. 
Além disso, cuidados com a pele, alimentação e hábitos de vida são essenciais para manter uma vida saudável.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!