PUBLICIDADE
SAÚDE
Fisioterapia pélvica previne doenças e fortalece músculos
Especialidade pode ajudar na prevenção de incontinência urinária e outras doenças
Por Raisa Carvalho
Em 28/06/2019 às 00:05
Foto: Divulgação

Você já ouviu falar em fisioterapia pélvica? É uma especialidade da fisioterapia responsável por fortalecer o assoalho pélvico, evitando problemas causados pela perda de força naquela região, como incontinência urinária. 

De acordo com a especialista Carolina Queiroz, a especialidade atende pessoas de todas as idades, homens, mulheres e por vezes crianças.  “Qualquer disfunção da região pélvica, seja sexual ou não. Atualmente, o meu maior público alvo são mulheres que sentem dor na relação sexual. Um incômodo que existe muitas vezes por anos e ela acha que é normal, porém não é” explica.

Outro fator de risco que pode apontar a hora de procurar um especialista, especialmente de grávidas ou idosos – é o de escape de xixi quando a pessoa espirra, ou tosse. “Este é um dos problemas mais comuns do enfraquecimento da musculatura pélvica. Além disso, há o risco de queda de bexiga, queda de útero (quando os órgãos caem do lugar natural e ficam muito próximos à vagina). Nos homens, as disfunções causadas por distúrbios no assoalho pélvico envolvem também impotência sexual” explica.

PUBLICIDADE

(Foto: Neia Dutra/FolhaBV)

Nesse caso, a fisioterapia pélvica pode ensinar exercícios de fortalecimento e prevenção. “A musculatura dessa região é importante não só pra saúde sexual, mas para a qualidade de vida. Por meio dos exercícios é possível fortalecer a região para ganhar volume muscular e isso tudo ajuda. Se você passa por isso, procure um especialista, apesar de ser um problema comum, ele não é normal” explica.

No caso de incontinência urinária, por exemplo, é fundamental o acompanhamento fisioterapêutico. É o profissional de fisioterapia pélvica que vai indicar a frequência, força e tipo do exercício que você deve fazer.

Algumas dessas disfunções vêm da falta de exercícios, enfraquecimento dos músculos, obesidade, doenças relacionadas à bexiga, de cirurgias que possam machucar os nervos da musculatura pélvica e até mesmo da gravidez ou do parto.

***
Gostou?
2
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!