Psoríase não tem cura, mas tratamento melhora qualidade de vida - Folha de Boa Vista
DIA MUNDIAL
Psoríase não tem cura, mas tratamento melhora qualidade de vida
A psoríase pode aparecer em qualquer fase da vida
Por Folha Web
Em 29/10/2020 às 18:00
A psoríase se manifesta principalmente por lesões avermelhadas e descamativas na pele (Foto: Divulgação)

Dia 29 de outubro marca o Dia Mundial da Psoríase, que é uma doença crônica inflamatória da pele, autoimune, não contagiosa e sem cura. O objetivo dessa data é conscientizar e alertar as pessoas sobre a psoríase, que apesar de não ter cura, tem controle e tratamento que pode melhorar a qualidade de vida das pessoas que tem essa condição.

A psoríase se manifesta principalmente por lesões avermelhadas e descamativas na pele, geralmente elas aparecem nas regiões do joelho, cotovelos, unhas, mãos, pés, couro cabeludo e regiões genitais, podendo também atingir todo o corpo. Por ser uma doença autoimune, a psoríase faz com que o organismo se ataque o que provoca crises da doença frequentemente.

A doença pode aparecer em qualquer fase da vida, sendo mais frequente o seu aparecimento antes dos 30 ou após os 50 anos. Porém a forma que a doença mais surge é em questões genéticas presentes normalmente em familiares do paciente.

Médica Ana Paula Vitti (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

“Os sintomas da psoríase sempre aparecem como se fosse uma alergia, coceira no couro cabeludo, casquinhas no cotovelo, no joelho, pois essa doença gosta muito de está sobre áreas de articulações” disse a médica Ana Paula Vitti.

A psoríase às vezes começa por fora, mas às vezes ela começa por dentro. “Por ser um processo inflamatório essa cascata formada na pele desenvolve muitas doenças como diabetes e depressão”, destacou a médica.

Sintomas da Psoríase

Os sintomas da psoríase são variáveis, pois vai de pessoas para pessoas, mas normalmente os sintomas são os seguintes:

Lesões avermelhadas na pele, cobertas com uma camada brancoprateada e descamativa

Pequenas manchas vermelhas

Pele seca, com facilidade para sangramentos

Unhas espessas e esfareladas, amareladas, descoladas e com furinhos na superfície

Inchaço nas articulações

Articulações rígidas e doloridas

Placas e descamações no couro cabeludo, cotovelos e joelhos.

Veja abaixo alguns fatores de riscos da psoríase

Histórico Familiar: esse é o fator mais significativo da psoríase

Aids: pessoas com AIDS, ou portadores do vírus HIV, são mais propensas a desenvolver a psoríase

Estresse: O estresse também pode impactar no sistema imunológico, o que favorece o surgimento de reações na pele e de doenças crônicas.

Obesidade: O excesso de peso facilita o desenvolvimento da doença e deixa a imunidade mais baixa.

Fumo: O uso do cigarro não só é um fator de risco para psoríase como também pode determinar o quão grave será a doença.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
1
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!