PUBLICIDADE
VIDA SAUDÁVEL
Quando o consumo de suplementos pode ser prejudicial para a saúde?
Uma pesquisa recente, no entanto, publicada em abril, pela Nature Metabolism, mostra um lado sombrio dos suplementos de proteína
Por Folha Web
Em 24/06/2019 às 11:26
Whey Protein é febre no mercado brasileiro - Crédito - Divulgação

Uma grande porcentagem das pessoas que praticam exercícios de musculação consome suplementos de proteína. O famoso whey protein está presente em milhares de academias de todo o Brasil, prometendo oferecer ganhos de massa muscular rapidamente.

Esse tipo de suplementação é popular também porque, cada vez mais, se torna mais acessível. Há marcas bastante em conta, que oferecem variadas formas de consumo de proteína do leite. Barrinhas, bebidas, em pó e mesmo barras de chocolate contêm as moléculas necessárias para o crescimento dos músculos.

Uma pesquisa recente, no entanto, publicada em abril, pela Nature Metabolism, mostra um lado sombrio dos suplementos de proteína.

PUBLICIDADE

Esse estudo é categórico ao afirmar que a elevada presença de BCAA nos suplementos, os chamados aminoácidos de cadeia ramificada, pode causar danos ao cérebro. Mais especificamente na produção da serotonina, conhecido hormônio da felicidade.

Overdose de BCCA prejudica o cérebro

A pesquisa foi realizada em Sidney, na Austrália. A Universidade responsável fez o experimento com dois grupos de camundongos. O primeiro foi alimentado com uma dose de BCAA’s, enquanto o outro recebeu o dobro dos aminoácidos. Verificou-se maiores taxas de morte e de obesidade no segundo grupo.

Apesar de a pesquisa não falar nada sobre a quantidade ideal de BCAA que os seres humanos devem consumir, os resultados pareceram bastante claros aos pesquisadores.

Uma overdose de BCAA a longo prazo pode resultar na destruição de uma substância conhecida como triptófano. O triptófano é quem produz e origina a serotonina. Sem a serotonina, os seres humanos perdem aquela sensação de bem-estar, além de terem seu sono e seu ciclo alimentar desregulados.

De acordo com pesquisadores, a melhor forma de evitar uma overdose de BCAA é não consumir os suplementos alimentares. As fontes naturais de proteína e de aminoácidos são muito mais saborosas e, como é óbvio, mais saudáveis.

Peixes, carne de frango e carne vermelha são exemplos, além de feijão, espinafre e oleaginosas.

Para que servem os suplementos alimentares e quando tomá-los

Os suplementos alimentares ganharam destaque muito rapidamente. Marcaram presença forte na rotina de muitos atletas profissionais e nas vidas de praticantes amadores de musculação.

Como tudo na vida, esses produtos não são um problema em si. Seu consumo pode ser muito benéfico nas condições certas. O problema é que há uma cultura bastante tóxica na qual a suplementação está inserida.

Não é só o whey protein ou o BCAA. A creatina, a sibutramina, a glutamina, entre tantos outros estão cada vez mais presentes no dia a dia de muitos jovens. Cada vez mais cedo as pessoas, principalmente os homens, estão consumindo esse tipo de produto.

Em muitos casos, substituem refeições por um shake de suplemento. Além de falhas nutricionais, esse tipo de atitude acarreta ou está ligada a um tipo de vício na prática de exercícios físicos. Às vezes nem tanto na prática em si, mas nos possíveis resultados que ela traz.

Para evitar que o consumo de suplementos alimentares se torne perigoso, é preciso consciência a respeito do seu uso. Veja abaixo, portanto, quais os principais produtos do gênero e quanso usá-los.

Whey protein: é o soro extraído do leite quando ele é transformado em queijo. Em termos nutricionais, oferece maior quantidade de proteína animal por 100 gramas em comparação ao queijo, ao ovo e às carnes.

Possui três tipos: isolado, hidrolisado e concentrado. Cada tipo oferece um nível de pureza de absorção diferente em relação à proteína. O whey protein ainda possui alta quantidade de BCAA e de glutamina, além de outros aminoácidos essenciais.

Deve ser usado apenas quando há deficiência de proteína no organismo ou na dieta alimentar do indivíduo.

BCAA: esse aminoácido é usado para evitar o catabolismo muscular, que é a quebra da massa magra. Além disso, ajuda na cura de lesões musculares.

Glutamina: esse aminoácido é o mais presente no organismo humano. Protege as estrutura musculares e o sistema imunológico. Também auxilia na recuperação da fadiga pós-treino.

L-carnitina: a carnitina dá um boost de energia. Aumenta o condicionamento físico, além de ajudar a aumentar a perda de peso. Assim como a glutamina, é interessante para quem quer reforçar as defesas do organismo.

Creatina: muito usada por quem quer hipertrofia, já que causa uma explosão de força.

Maltodextrina: carboidrato encontrado no milho e na mandioca, é muito usado por quem pratica atividades aeróbicas de grande intensidade. Fornece os níveis perfeitos de glicose, de modo que não seja necessário retirar energia dos músculos.

***
Gostou?
14
34
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!