PUBLICIDADE
EM PACARAIMA
Segurança pública toma medidas urgentes para mediar conflito
Na fronteira haverá uma base móvel da Polícia Militar; assunto foi discutido quinta-feira entre o governo e o MP
Por Tarsira Rodrigues
Em 12/01/2019 às 00:15
Reunião entre integrantes da Justiça, Ministério Público e Sistema de Segurança ocorreu no auditório da Comarca de Pacaraima (Foto: Samuel Brandão)

Para atender de imediato os problemas enfrentados no âmbito da segurança pública em Pacaraima, na fronteira com a Venezuela, várias medidas serão adotadas em caráter de urgência pelo governo de Roraima. A meta é promover ações a curto, médio e longo prazos.

Entre as medidas adotadas para fortalecer a segurança no município, constam a manutenção de seis câmeras de monitoramento, a implantação de uma base móvel da Polícia Militar e o reforço nos efetivos das forças policiais do Estado. A discussão ocorreu por meio de uma reunião na quinta-feira, 10, entre o governo de Roraima e Ministério Público.

Durante a reunião a delegada Rozane Wildmar falou da importância de fiscalizar as vias alternativas para evitar a entrada irregular no Brasil. Segundo ela, quem entra pela fronteira passando pela fiscalização dos órgãos de segurança está buscando agir de forma correta. Entretanto, o problema é a entrada irregular de estrangeiros por várias estradas conhecidas na localidade como “cabriteiras”, por onde tem passado um fluxo muito grande de pessoas irregulares, inclusive com antecedentes criminais no país vizinho.

‘Não podemos ficar sem as soluções a despeito das dificuldades enfrentadas em relação ao efetivo e à logística’, destacou o coronel Elias Santana (Foto: Samuel Brandão)

O comandante da Polícia Militar, coronel Elias Santana, destacou que há a necessidade de se dar respostas positivas às demandas apresentadas.

“Não podemos ficar sem as soluções a despeito das dificuldades enfrentadas em relação ao efetivo e à logística. A partir da próxima semana, o comandante de Policiamento do Interior, coronel Lindolfo, estará em Pacaraima para lançar uma modalidade de policiamento com emprego da base móvel de Polícia Comunitária”, adiantou Santana.

Segundo ele, a medida trata de um policiamento presencial em que boa parte do efetivo da administração vai cumprir o policiamento na base, diretamente com a sociedade, para que possa orientar e fazer as advertências, principalmente ao público estrangeiro que circula em Pacaraima e, eventualmente, a repressão de delitos e crimes que têm acontecido.

Efetivo de policiais será reforçado

Encontro foi mediado pelo promotor de Justiça Lincoln Zaniolo e contou com representantes do governo de Roraima (Foto: Samuel Brandão)

O delegado-geral da Polícia Civil, Herbert Cardoso, destacou que a situação em Pacaraima é preocupante e que está buscando meios para otimizar as forças junto às outras instituições de segurança e atender a população. Ele apontou o problema do grande fluxo migratório de venezuelanos que entram e saem por uma fronteira que está totalmente aberta, principalmente nas extremidades, pois há lugares em que as pessoas entram sem nenhum tipo de controle.

Segundo Cardoso, foram definidas metas e nos próximos 60 dias haverá um novo encontro para avaliação da ação executada. “A Polícia Civil vai procurar enviar reforço no efetivo. Também colocar Internet para que possa inserir os procedimentos integrados à Justiça. Estamos fazendo um contato com a presidência do TJ [Tribunal de Justiça] para verificar a possibilidade de se realizar a audiência de custódia no município, tendo em vista que qualquer preso flagrado em Pacaraima tem que se deslocar a Boa Vista, para passar por esse procedimento na Justiça”, pontuou.

 Outra medida a ser adotada, segundo o delegado-geral é a articulação para a reforma da Delegacia de Pacaraima. Também, como alternativa, a busca de emendas parlamentares para a construção de um novo prédio para a delegacia e a aquisição de mais duas viaturas.

 “Foi uma reunião de trabalho positiva. Nossa meta é irmos a todas as unidades policiais, na capital e interior, para verificar as dificuldades e buscar soluções de melhorias, atendendo ao servidor e a toda a população”, avaliou Cardoso.

Desde o fim de outubro do ano passado, o MPE passou a formular reuniões constantes com os integrantes do Sistema de Segurança que atuam em Pacaraima, tais como a Polícia Militar, Polícia Civil, Exército, da Operação Acolhida, Detran e Polícia Rodoviária Federal.

“Nos reunimos com a cúpula do Sistema de Segurança e a ideia foi conhecer a dificuldade de cada órgão, mas também adotar medidas enérgicas para que as autoridades tomem providências”, enfatizou o promotor.

O secretário de Segurança Pública, Márcio Amorim, observou que, seguindo a regra de integração total das forças policiais do Estado, participou do encontro a convite do promotor da Comarca de Pacaraima, fazendo um levantamento das demandas necessárias para melhorias no policiamento, tanto ostensiva, por parte da Polícia Militar, quanto o investigativo por parte da Polícia Civil.

Amorim destacou os problemas enfrentados na cidade tendo em vista a crise migratória e disse que esses dados serão levantados e levados a Brasília em uma primeira reunião em que vai participar no sentido de manter as forças federais integradas às forças estaduais, garantindo assim a segurança de fronteira.

“A Secretaria de Segurança garantiu a manutenção de seis câmeras de monitoramento, no sentido de garantir a segurança do cidadão, tanto do estrangeiro quanto dos brasileiros”, afirmou o titular da Sesp.

O encontro foi mediado pelo promotor de Justiça Lincoln Zaniolo e contou com representantes do governo de Roraima, como o secretário de Segurança Pública, Márcio Amorim Cardoso, o delegado-geral, Herbert de Amorim Cardoso, o comandante da Polícia Militar, coronel Elias Santana, representantes da Justiça e do Ministério Público da Cidade, da Polícia Federal, da Força Nacional e da delegada de Pacaraima, Rozane Wildmar.

Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!