PUBLICIDADE
POLÍTICA
Senador afirma que corrente da reserva será retirada
Construção do linhão de Tucuruí e retirada da corrente do Jundiá serão temas de Reunião do conselho de Defesa Nacional em Brasília
Por Folha Web
Em 26/02/2019 às 18:15
Na divisa entre os estados de Roraima e Amazonas existe hoje uma corrente que literalmente fecha a BR 174 (Foto: Divulgação)

O senador chico Rodrigues do DEM de Roraima, esteve hoje com o Presidente da República Jair Bolsonaro em viagem para a solenidade de posse do general Joaquim Silva e Luna como diretor-geral de Itaipu Binacional. Dentre outros assuntos abordados na viagem de Itaipu o Senador Chico Rodrigues conversou com o Presidente Bolsonaro e externou a sensível situação que o estado vive hoje.

O presidente informou ao senador que amanhã acontecerá uma reunião do Conselho de Defesa Nacional, onde estarão presentes ministros de estado, os presidentes da câmara e do senado Federal, onde será abordado o início imediato das obras de construção do linhão de Tucuruí para interligar Roraima ao sistema nacional de energia elétrica.

Outro assunto relevante, é a retirada definitiva da corrente que fecha a divisa entre Roraima e o Amazonas, conhecida como corrente do Jundiá que é fechada a partir das dezoito horas e reaberta no outro dia pela manhã, impedindo a passagem do trafego entre os dois estados.

“Essas são questões de políticas estratégicas para a defesa nacional, posto que hoje estamos vivendo um momento de extrema instabilidade em Roraima, por conta da tensão na Venezuela, que a qualquer momento pode cortar a energia elétrica do nosso estado e prejudicar de sobremaneira o nosso desenvolvimento. Além de causar insegurança a população que já sofre as consequências da crise migratória. A qualquer momento vamos ficar literalmente no escuro.” Afirma o senador de Roraima Chico Rodrigues

“Estive com o presidente Bolsonaro e aproveitei a oportunidade para relatar os problemas que vivemos cotidianamente em Roraima. Fomos juntos, no mesmo avião, à posse do general Joaquim Silva e Luna como diretor-geral de Itaipu Binacional, e naquele momento vi a oportunidade de externar as minhas preocupações sobre o meu estado.

A exemplo da tão reclamada retirada da corrente do Jundiá x Abonari, na divisa entre Roraima e Amazonas, que é fechada diariamente impedindo o direito constitucional de ir e vir dos brasileiros que por ali passam. Essa corrente representa uma vergonha nacional.”

“Sugeri ao Presidente Bolsonaro que seja colocado um posto avançado da PRF, (Policia Rodoviária Federal), na divisa entre os dois estados para garantir a segurança do trafego e também a segurança dos índios que ali habitam. Afinal nós somos uma república de índios e não índios.

Entenda o que é a Corrente do Jundiá em Roraima

Na divisa entre os estados de Roraima e Amazonas existe hoje uma corrente que literalmente fecha a BR 174, impedindo o trafego na rodovia a partir das dezoito horas e reabrindo para o trânsito de automóveis e caminhões as sete da manhã do dia seguinte. Quem comanda esse abrir e fechar da estrada são os índios da Terra Indígena Waimiri-Atroari que vivem no lado amazonense da divisa.

***
Gostou?
20
5
SANTOS disse: Em 27/02/2019 às 13:47:58

"- Não tenho nenhum motivo para duvidar da afirmação do Senador Chico Rodrigues, mas a assertiva leva-me à uma indagação. Que a corrente poderá ser retirada, não há dúvidas, mas, QUANDO? Em todas as eleições essa mesma promessa foi feita por muita gente e a corrente continua lá, incólume!!!"

ADNIL BARROS CAVALCANTE disse: Em 26/02/2019 às 22:22:42

"Senador Chico Rodrigues. Já que amanhã haverá a reunião com o Conselho de Defesa Nacional, sugiro que se aborde a questão do Assentimento Prévio para que o Iteraima possa emitir os títulos de propriedades das posses rurais de diversas glebas de nosso Estado e, consequentemente, termos condições de alavancar o PIB do meio rural."

francisco disse: Em 26/02/2019 às 21:08:05

"Agora é esperar o aumento de mortalidade de animais Silvestre, índios, aumento significativo de acidentes, quero ver se o governo vai fazer hospitais para atender esse desastre todo."

Damiao disse: Em 26/02/2019 às 18:23:47

"Duvido! "