ATRASO NO PAGAMENTO
Servidores paralisam atividades em abrigos
Segundo os trabalhadores, o Governo teria dado garantias de que os salário seguintes seriam pagos sem atraso, o que não ocorreu
Por Minervaldo Lopes
Em 15/02/2018 às 10:51
Por conta do atraso, servidores decidiram paralisar as atividades nesta quinta-feira, 15 (Foto: Hione Nunes)

Servidores que atuam no atendimento ao imigrante venezuelano nos abrigos do bairro Pintolândia e da cidade de Pacaraima, Norte do Estado, paralisaram as atividades nesta quinta-feira, 15. A decisão foi em razão dos atrasos no pagamento de salários, segundo relatou um dos trabalhadores que pediu para não ser identificado.

Conforme ele, a contratação de servidores ocorreu graças a um convênio feito pelo Governo do Estado com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). O investimento em questão seria utilizado para a escalação de uma equipe técnica para diversas funções, como psicólogos, antropólogos e agentes sócios instrutores.  

“Esse dinheiro veio por meio de convênio especificamente para isso. Pois bem, ficamos dois meses sem receber o pagamento referente aos meses e novembro e dezembro, que acabou saindo somente em janeiro”, relatou.

Ainda segundo o funcionário, o governo teria dado garantias de que o pagamento dos salários seguintes, ocorreriam sem atrasos, o que acabou não ocorrendo conforme o prometido.

“Hoje, as equipes resolveram parar os trabalhos para cobrar o pagamento. Um descaso, pois disseram que esse pagamento ocorreria no fim do mês ou até o dia 05”, pontuou.

O OUTRO LADO – Questionado sobre o assunto, o Governo do Estado informou, em nota, que houve uma situação pontual envolvendo o sistema de transmissão do pagamento, que estará normalizado até o início desta tarde, e o pagamento dos dez servidores seletivados que atuam nos abrigos será efetuado em até 48 horas.

Ainda segundo o Governo, a referida paralisação, sem comunicação prévia ao Governo do Estado é irregular e, se necessário, as medidas administrativas cabíveis podem ser adotadas.

Manuel disse: Em 06/08/2018 às 19:36:11

"Como é que é? Tem gente trabalhando remunerado....ahhhhh entendi."

Clovis disse: Em 15/02/2018 às 15:53:50

"O interessante é que o dinheiro para pagamento desse pessoal, resulta de um convênio com o governo federal e já está nos cofres do governo estadual. E porque o pagamento não é feito em dia, sem atraso?"