PUBLICIDADE
SAÚDE MASCULINA
Urologista alerta para a importância de consultas ao médico
Engana-se quem acredita que a função do especialista se resume ao toque da próstata. Conheça os principais exames que os homens devem fazer
Por Folha Web
Em 08/01/2019 às 00:30
 “A consulta é como conversar com o padre”, afirma médico (Foto: Priscilla Torres/FolhaBV)

FABRÍCIO ARAÚJO

Colaborador da Folha

Enquanto as mulheres são preparadas para cuidarem da saúde desde sempre, ainda há muitos homens que acreditam que a saúde masculina se resume ao exame de próstata. O engano é grande. Os cuidados, do ponto de vista urológico, começam ainda na primeira infância e devem se estender por toda a vida. Fimose, disfunção erétil, problemas hormonais, ejaculação precoce e câncer de pênis são perigos que os homens devem ficar atentos e se dirigir a um urologista já no primeiro sinal.

A procura tímida dos homens a este tipo de especialista se deve a três principais fatores, de acordo com o urologista Raul Villasana: o tabu do machismo, o medo e a desinformação. Sendo o último, o maior freio para os homens.

“A falta de informação é o item mor. Isso de machismo também é um problema, mas não é tão importante. Veja bem, os pacientes que geralmente recebo estão acompanhados de uma mulher, então se levam a esposa para uma consulta médica é porque estão com medo”, relatou Villasana.

Em todas as fases da vida é possível que um homem precise se dirigir a um urologista. Ou no caso de uma criança que os pais façam este deslocamento. Ainda durante a infância, é possível sofrer com a fimose, que é a incapacidade ou dificuldade de remover a pele que recobre a glande.

Também é possível sofrer com os testículos fora da bolsa, dificuldade para urinar pela ponta do pênis ou continuar urinando na cama após os 10 anos de idade também são casos para um urologista.

Na adolescência, os principais casos são a busca para tratamento de Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) e ejaculação precoce, assim como casos de fimose não resolvidos durante a infância. Mas a partir dos 15 anos, um homem pode ser vítima do câncer de pênis, portanto é preciso ir a um urologista aprender a fazer o autoexame.

Já na vida adulta, as preocupações também estão relacionadas ao câncer de pênis e testículo, assim como a ejaculação precoce, disfunção erétil, irregularidades hormonais, e, claro, o exame de próstata.

“De acordo com um estudo americano, é necessário fazer o exame de toque a partir dos 45 anos se você é da raça negra e se há mais de um membro da família de diferentes gerações que sofreram com câncer na próstata. Para quem não está nos grupos com fator de risco, deve começar a partir dos 50 anos. E partir dos 75 anos não se faz mais toque porque são pacientes com uma expectativa de 10 anos de vida”, disse o especialista.

De forma resumida, homem sempre precisa procurar o urologista por qualquer coisa diferente que encontre no órgão genital, ou que esteja diferente no desempenho sexual.

“A consulta em um urologista não deve ser vista só em condição do câncer de próstata. Há outras doenças urológicas que todas as faixas etárias têm e precisam fazer a consulta. Adolescente precisa, principalmente para aprender a fazer o autoexame. A criança depende dos pais, mas o adulto jovem precisa procurar por causa de câncer de pênis e câncer de testículo. Câncer de próstata antes dos 40 é muito difícil”, afirmou Villasana. (F.A)

***
Gostou?
5
0
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!