No Dia do Músico, artistas contam como surgiu a paixão pelos palcos - Folha de Boa Vista
RORAIMA
No Dia do Músico, artistas contam como surgiu a paixão pelos palcos
Neto Andrade ingressou na carreira musical aos 17 anos de idade, encantado desde de criança pela música
Por Folha Web
Em 22/11/2021 às 17:35
Em nova fase de sua carreira, Neto Andrade passará uma temporada no nordeste (Foto: Nilzete Franco/FolhaBV)

Hoje 22 de novembro é comemorado o dia nacional da música. Essa data é em homenagem a todos os profissionais que são tão importantes para o campo da arte e entretenimento que deixam a vida mais leve e alegre com suas canções.

Em alusão ao dia, a equipe de reportagem da FolhaBV bateu um papo com o cantor e radialista Neto Andrade, que contou a história de como a música entrou em sua vida, além do que a música representa para ele, e as dificuldades que o artista teve ao longo da carreira.

Natural de Patú, no Rio Grande do Norte, o músico Neto Andrade iniciou sua carreira aos 17 anos, tendo sido influenciado por artistas como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Genival Lacerda, Trio Nordestino e tantos outros.

“Tudo começou quando eu ainda era criança, a gente ali ouvindo rádio, as radiolas, eu me identifico muito com a música, e não foi difícil perceber que a música seria o meu destino. Quando eu cheguei em Roraima, ainda pequeno, eu sempre gostei de estar envolvido em projetos musicais na escola. A música esteve sempre me chamou mais atenção no contexto artístico. Eu acho a música algo fantástico, a música estar presente em todos os momentos da nossa vida, seja momentos felizes como os momentos de tristeza, a música eleva alma”, relata o cantor.

Ele contou ainda que a data é importante para que os músicos sejam lembrados como grandes profissionais da arte e cultura do mundo.

“Através da data é quando se faz as manifestações como músico, e de certa forma é relembrado pela sociedade uma forma como profissional é importante porque se faz necessário que a gente seja lembrado como um profissional e não como uma ferramenta de entretenimento” frisou.

Neto falou ainda sobre como se manteve durante a pandemia, com a toda a restrição de não poder se apresentar nos bares, casas de festas, e eventos em geral.

“Durante a pandemia eu costumo dizer que foi um dos momentos que eu mais produzi, por que eu procurei me profissionalizar, eu produzi tanto para mim como para outras pessoas. Vale ressaltar que o músico não pode se limitar apenas nos palcos” explicou.

Em nova fase de sua carreira, Neto Andrade passará uma temporada no nordeste. “Eu costumo dizer que todo profissional deve sair da sua zona de conforto, ele tem que procurar  novos momento, tem que procurar crescer, e viajar é necessários na vida de todo artista, nessas viajem a gente faz novas parcerias. Desde 2012 eu passo temporadas no nordeste, e logo mais eu estarei viajando por todo o nordeste, em parceria com uma empresa de fortaleza, mas sem deixar Roraima fora dos meus olhares”, contou.

Cantora desde os seis anos, Evelin Campos fala de sua relação coma música

Evelin Campos durante apresentação (Foto: Divulgação)

A cantora e radialista Evelin Campos conta que teve influência de filmes com musicais e hoje em dia seu sonho é ser musicista.

“Eu comecei a cantar com seis anos, porque eu gostava de acompanhar os musicais, os filmes da Disney. Com 13 anos eu gravei um CD de músicas com estilo musical forró romântico, mas nunca pensei em cantar profissionalmente. Mas no final do ensino médio que me dediquei mais a cantar, mas era mais para desestressar, e foi quando eu comecei a procurar mais a estudar e me profissionalizar e hoje em dia eu sou acadêmica de música na Universidade Federal de Roraima, e estou em busca de me tornar uma música de carteirinha”, contou.

Ela diz ainda que o sentido da música é levar alegria para pessoas. “Marcar momentos importantes na vida das pessoas é o que faz sentido em ser músico para mim. E hoje além de me apresentar em casas de festas, eventos, bares, e também eu sou professora de canto e tento repassar o que já aprendi para outras pessoas”, acrescentou.

VÍDEOS RECOMENDADOS
***

Quer o site da FolhaBV com menos anúncios?

Um jornalismo profissional com identificação e compromisso com o regional que fiscaliza o poder público, combate o autoritarismo e a corrupção, veicula notícias interessantes, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. São mais de 50 reportagens todo dia. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?

ASSINE A FOLHABV
Gostou?
0
0
Cadastrar-me Enviar Comentário
Não existem comentários. Seja o primeiro a comentar!